Conferencia anual de hackers, a Defcon, acontece esta semana em Las Vegas

WASHINGTON - A Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos tem um desafio para os hackers que se gabam de suas capacidades: provar do que são capazes trabalhando nos "problemas mais difíceis do planeta".

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

Os talentos dos hackers estão em grande demanda pelo governo dos EUA para as guerras cibernéticas que representam ameaça crescente à segurança do país, e eles são escassos.

Por isso, uma verdadeira sopa de letrinhas de agências federais norte-americanas --DOD, DHS, Nasa, NSA-- participarão da Defcon, uma conferência anual de hackers que acontece esta semana em Las Vegas. A inscrição para o evento custa US$ 150, pagos em dinheiro, sem registro de nomes. O número de participantes esperado é de mais de 10 mil.

A NSA está entre os mais ávidos participantes dessa busca. A agência de espionagem desempenha papel tanto ofensivo quanto defensivo nas guerras cibernéticas. Conduz escutas eletrônicas contra adversários e protege as redes de computadores norte-americanas que hospedam material altamente secreto e representam alvo suculento para os inimigos dos EUA.

"Hoje estamos em busca de guerreiros cibernéticos e não de cientistas espaciais", disse Richard "Dickie" George, diretor técnico da divisão de proteção de informações da NSA, que cuida das operações de defesa cibernética da agência.

"É a corrida em que estamos envolvidos hoje. E precisamos dos melhores e mais brilhantes profissionais para assumir esse status de guerreiros cibnernéticos", declarou em entrevista à Reuters.

A NSA vai contratar cerca de 1,5 mil pessoas no ano fiscal que se encerra em 20 de setembro e número semelhante no ano que vem, a maioria das quais especialistas em combate cibernético. Com pouco mais de 30 mil funcionários, a NSA, sediada em Fort Meade, Maryland, tem porte muito maior que o de todas as demais agências de inteligência norte-americanas, incluindo a Central Intelligence Agency (CIA).

A organização também realiza operações de espionagem cibernética e outras ações ofensivas, algo que raramente ou nunca discute publicamente.

Na Defcon, porém, a NSA e demais organizações federais estarão concorrendo com a iniciativa privada pelo talento dos hackers.

A NSA precisa de especialistas em segurança cibernética para proteger melhor suas redes, defendê-las com atualizações, realizar "testes de penetração" em busca de brechas de segurança e procurar sinais de quaisquer ciberataques.

A NSA está expandindo suas fileiras de hackers, mas George diz que esse é um talento escasso. "Está sendo difícil encontrar as pessoas de que precisamos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.