Código foi obtido em 2006

Hackers pediram 50 mil dólares à produtora de software antivírus norte-americana Symantec para que devolvessem o código básico de alguns de seus produtos essenciais. A companhia diz que o pedido foi feito por e-mail, como parte de uma operação clandestina de uma agência policial.

A Symantec diz que os e-mails na verdade foram trocados entre hackers e policiais que se fizeram passar por funcionários da empresa.

"As comunicações com a(s) pessoa(s) que tentava(m) extorquir pagamento da Symantec foram parte de uma investigação policial", disse Cris Paden, porta-voz da empresa, acrescentando que nenhum pagamento foi realizado.

A Symantec havia confirmado anteriormente que o hacker, parte do grupo conhecido como Lords of Dharmaraj e associado ao Anonymous, estava de posse do código-base de seus produtos, obtido em 2006 por meio de uma violação das redes da empresa.

Uma troca de e-mails divulgada pelo hacker, conhecido como YamaTough e que alega operar de Mumbai, Índia, mostra prolongadas negociações com um suposto funcionário da Symantec, a partir de 18 de janeiro.

As negociações via e-mail foram semelhantes a conversações realizadas anteriormente e vistas pelas Reuters, em operações policiais nas quais a polícia comanda os contatos entre vítimas e hackers.

"Não podemos lhe pagar 50 mil dólares de imediato, pelos motivos discutidos anteriormente", afirmava um e-mail de Sam Thomas, suposto funcionário da Symantec, que posteriormente ofereceria pagamento do valor integral.

"Em troca, você divulgará um comunicado público, em nome de seu grupo, afirmando ter mentido sobre o hack", a mensagem acrescentava.

O hacker declarou que jamais pretendeu aceitar o dinheiro, e alertou que em breve divulgaria publicamente o código-fonte para o pcAnywhere da Symantec e os produtos antivírus da Norton.

"Nós os enganamos para que oferecessem uma propina e pudéssemos humilhá-los", disse YamaTough à Reuters.

Nas últimas semanas, o hacker vem postando partes do código do Norton Utilities e outros programas. A propriedade intelectual de uma produtora de software antivírus, especialmente seus códigos-fonte, é seu ativo mais precioso.

O Norton Internet Security, da Symantec, está entre os antivírus mais populares.

A empresa alega que a versão 2006 do código-fonte em posse do hacker não representa ameaça aos clientes mesmo que seja divulgada na íntegra.

Depois que o ataque de hackers foi divulgado, em janeiro a Symantec pediu que os clientes desabilitassem temporariamente o pcAnywhere. Posteriormente, divulgou uma atualização gratuita que voltou a permitir seu uso seguro.

(Reportagem de Frank Jack Daniel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.