Nos últimos meses antes da morte de Jobs, Gates visitou o executivo e lhe deu uma carta que falava sobre sua carreira e filhos

Depois da morte de Steve Jobs, cofundador e ex-CEO da Apple, Laurene Powell, esposa de Jobs, fez uma ligação para Bill Gates, fundador da Microsoft, para contar que Steve Jobs manteve uma carta escrita por ele ao lado de sua cama, durante os últimos dias de vida. "Ela me disse que ele gostou da carta que eu escrevi e a guardou ao lado da cama", disse Gates, em entrevista ao jornal The Telegraph .

LEIA TAMBÉM:
Veja notícias, vídeos e fotos sobre a morte de Steve Jobs
Steve Jobs e Bill Gates: amigos e rivais

Bill Gates:
Getty Images
Bill Gates: "Não havia nenhuma reconciliação a fazer. Nós não estávamos em guerra."
Rivais durante muitos anos, por conta da concorrência entre os computadores com Windows e o Macintosh, Jobs e Gates estiveram juntos durante uma longa visita de Gates, quando Jobs já estava afastado da Apple. "Nós passamos horas relembrando o passado e falando sobre o futuro", disse Gates ao jornal. Segundo ele, quando o estado de saúde de Jobs piorou, ele lhe escreveu a carta.

Na carta, Gates falou sobre as criações de Jobs, como o iPhone e o iPad, e o trabalho que ele fez ao criar o Mac. "Eu falei para Jobs que ele deveria se sentir ótimo sobre o que ele fez e a empresa que ele construiu. Eu escrevi sobre seus filhos, que eu tive a oportunidade de conhecer", disse Gates.

De acordo com Gates, o gesto nos momentos finais de Jobs não foi conciliatório, em vista dos anos de rivalidade entre os dois executivos. "Nós criamos grandes produtos e competição é sempre uma coisa boa. Não havia motivo para perdão", disse o executivo ao jornal.

"Steve foi um gênio incrível que contribuiu imensamente para a área que eu trabalhava. Nós tivemos fases, como no início do Mac, quando nós tínhamos mais pessoas trabalhando do que ele tinha. E nós éramos concorrentes. Os computadores pessoais em que eu trabalhei tinham uma participação de mercado muito maior que a Apple até os últimos cinco ou seis anos, quando o ótimo trabalho de Steve no Mac, no iPhone e iPad foram muito bem. É uma grande conquista. E nós gostávamos do trabalho um do outro", disse Gates durante a entrevista.

Na ligação de Laurene Powell, esposa de Jobs, para Gates, ela também o preparou para receber a biografia de Steve Jobs, escrita por Walter Isaacson e lançada poucos dias após a morte do executivo. "A biografia dele não mostra o respeito mútuo que vocês tinham um pelo outro", disse Laurene a Gates. No livro, o autor conta diversos trechos de entrevista com Jobs em que ele é bastante duro em relação a sua opinião sobre Gates. Em um dos trechos do livro, há uma entrevista com Jobs em que ele disse que "Gates seria um cara mais legal se tivesse tomado ácido".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.