Dados mostram que participação de mercado entre sessões de aplicativos Android já é maior no Kindle Fire do que no Galaxy Tab

Kindle Fire, o primeiro tablet da Amazon, faz sucesso nos EUA
Getty Images
Kindle Fire, o primeiro tablet da Amazon, faz sucesso nos EUA
Lançado há cerca de três meses, o Kindle Fire , tablet desenvolvido pela Amazon, já prejudica as vendas de outros tablets com o sistema operacional Android, do Google.

De acordo com dados da consultoria Flurry , que monitora o uso de milhares de aplicativos Android, o Kindle Fire aumentou de 3% para 36% a sua participação de mercado entre as sessões (períodos entre abrir e fechar um aplicativo) monitoradas. No mesmo período, a fatia do Samsung Galaxy Tab caiu de 63% para 36% do total de sessões.

Outros tablets que disputam o mercado americano, como o Asus Transformer, Acer Iconia Tab e Motorola Xoom também perderam participação de mercado nos primeiros três meses após o lançamento do Kindle Fire. Em novembro de 2011, o Transformer, por exemplo, tinha 13% do total do mercado de tablets nos Estados Unidos, mas a fatia foi reduzida a 7% em janeiro de 2012.

Os analistas da consultoria lembra que, em novembro de 2011, o Galaxy Tab dominava as sessões de aplicativos para Android - o que o posicionava como a principal opção para usuários que não aderiram ao iPad, tablet da Apple. As vendas de Natal nos Estados Unidos mudaram o cenário: de acordo com a Flurry, agora o Kindle Fire responde por exatos 35,7% das sessões de aplicativos Android, enquanto o Galaxy Tab por 35,6%.

Tablet Kindle Fire já superou Galaxy Tab em sessões de aplicativos para sistema Android, diz estudo
Reprodução
Tablet Kindle Fire já superou Galaxy Tab em sessões de aplicativos para sistema Android, diz estudo
De acordo com a Amazon, mais de 4 milhões de unidades do Kindle Fire foram vendidas durante o mês de dezembro. Em comparação, segundo dados da Motorola, a empresa vendeu apenas 200 mil unidades do Xoom durante o último trimestre de 2011.

A diferença de preço entre o Kindle Fire e outros tablets com Android é um dos principais fatores que condicionam a escolha pelo produto: enquanto o Kindle Fire custa US$ 199, o Galaxy Tab 10.1, por exemplo, custam US$ 450 (na versão de 16 GB).

Usuários do Kindle Fire baixam mais aplicativos pagos

Outra informação do estudo mostra que os donos do Kindle Fire baixam mais aplicativos pagos, dentre os 10 mais baixados da loja, do que os usuários de outros tablets com Android. Segundo a pesquisa da Flurry, que analisou cinco títulos de aplicativos durante janeiro, o Kindle Fire gera duas vezes e meia mais downloads de aplicativos pagos do que o Galaxy Tab.

A empresa estima que o Galaxy Tab tenha pelo menos o dobro de base instalada do Kindle Fire, o que mostra o sucesso do tablet e da loja de aplicativos da Amazon.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.