Acessório da Microsoft é cada vez mais usado em projetos interativos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=tecnologia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1597125070240&_c_=MiGComponente_C

Por Peter Wayner

O pesquisador Russ Maschmeyer não tem nada contra instrumentos musicais. Ele só acha que eles são difíceis de tocar.

Por isso, ele aproveitou sua pesquisa na Escola de Artes Visuais em Nova York para criar um instrumento a partir do nada.

NYT
Maschmeyer mostra seu experimento com o Kinect
Maschmeyer mostra seu experimento com o Kinect

Ele programou um Kinect (acessório do Xbox) para seguir seus movimentos e converter gestos em notas musicais. Com isso, ele pode tocar notas musicais apenas com o movimento das mãos.

Instrumentos convencionais são muito, muito complicados, ele explica. Você não só tem que aprender a tocar uma nota, mas como produzir várias delas em sequência, rapidamente. Para ser um músico de primeira, você tem que dominar uma série de movimentos e ter muita precisão.

Desde que foi lançado, no fim de 2010, o Kinect atraiu a atenção de curiosos, programadores e artistas. Cientistas já usam câmeras para monitorar movimento há muito tempo, mas o dispositivo da Microsoft facilitou bastante esse trabalho. O Kinect é a primeira alternativa de custo baixo para capturar informação em três dimensões.

A Microsoft criou o aparelho para servir como um acessório do Xbox 360 e conseguiu deixá-lo com poder de processamento suficiente para monitorar movimento de objetos. O Kinect usa uma câmera com luz infravermelha, invisível ao olho humano.

Os objetos refletem essa luz e a câmera analisa esses reflexos para saber onde a pessoa está e qual movimento está fazendo.

Sites reúnem projetos com Kinect

Como o Kinect é barato e fácil de usar, as experiências se tornaram mais populares e muitos usuários começaram a compartilhar o software e usas experiências em comunidades como kinecthacks.net, kinecthacks.com e hackaday.com.

Esses sites frequentemente trazem instruções para quem quer replicar os experimentos.

Os artistas parecem ser o grupo mais interessado em explorar o Kinect, talvez porque não seja muito emocionante usar os braços para manipular dados de planilhas financeiras.

A estudante Alexandra Wolfe programou o Kinect para rastrear o movimento de seus braços e projetar luzes coloridas na tela. Eu rastreei minha silhueta porque o Kinect tem recursos muitos bons para essa finalidade. Dá pra fazer isso usando uma câmera comum, mas isso exigiria muito tempo e trabalho para criar o código correto, diz.

Há cada vez mais programas para quem quer usar o Kinect em algum projeto. Algumas ferramentas exigem alto conhecimento de programação, mas outras são bem simples.

Ferramenta FAAST está entre as mais populares

Uma das formais mais fáceis é baixar a ferramenta Flexible Action and Articulated Skeleton Toolkit (FAAST), criada por estudantes americanos. Ela converte gestos em instruções para softwares de computador.

A ferramenta pode ser usada para que gestos correspondam a teclas de um teclado convencional. A equipe que criou a ferramenta usou o software para criar gestos que correspondem a atalhos de teclado do jogo World of Warcraft.

Vídeo mostra uso da FAAST com World of Warcraft

Quando o usuário se inclina para frente, por exemplo, a ferramenta converte esse movimento e aciona a tecla W, o que faz com que o personagem se mova para frente.

A ferramenta pode ser adaptada para funcionar com outros programas. Muitos programas de galeria de foto, por exemplo, trocam as imagens quando usuário pressiona a barra do teclado. A FAAST pode ser usada para permitir que o usuário troque as fotos apenas com um gesto da mão, substituindo a barra do teclado.

A Microsoft está de olho em todos esses projetos envolvendo o Kinect e também tem sua ferramenta de criação de projetos. Essa e outras ferramentas estão ajudando a criar vários projetos caseiros e empresariais envolvendo o Kinect.

Na Espanha, três programadores criaram um equipamento que usa três Kinects para criar modelos 3D de objetos e enviá-los para uma impressora 3D. O projeto permite criar um modelo 3D de uma pessoa em poucos minutos.

Alguns artistas estão explorando a integração de Kinects com plaas de som para criar performances interativas. O programador australiano Peter Morton recriou com um amigo a cena do filme Quero ser Grande em que Tom Hanks e e Robert Loggia tocam um teclado gigante montado no chão. A versão de Norton não exige sensores no chão, já que o aparelho monitora os pés.

Norton e seu amigo usaram software do site OpenKinect.org e também criaram suas próprias ferramentas, usando a linguagem Python. Ninguém poderia prever a quantidade e a diversidade dos projetos envolvendo o Kinect. Nem a Microsoft, afirma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.