Segundo empresa, interface Metro é evolução do menu Iniciar e da barra de tarefas do Windows

A interface Metro do Windows 8 , que oferece uma tela inicial que organiza os aplicativos em widgets chamados "tiles", já causa preocupação entre os usuários de Windows. Depois de receber diversos e-mails com questionamentos, inclusive sobre a possibilidade de desativar o recurso em PCs, a Microsoft decidiu esclarecer o motivo da mudança para os usuários e como eles poderão tirar proveito dela.

Interface Metro é evolução do menu Iniciar e barra de tarefas do Windows, diz Microsoft
Divulgação
Interface Metro é evolução do menu Iniciar e barra de tarefas do Windows, diz Microsoft
Os usuários estão confusos porque a interface Metro, inicialmente pensada para otimizar o uso do Windows 8 em tablets, também estará presente no Windows 8 para desktops e notebooks. Neste caso, no entanto, o usuário poderá optar pela interface Metro ou por uma interface mais tradicional, mas isso pode não ter ficado claro para algumas pessoas.

"Nós percebemos que, para algumas pessoas, algumas mudanças no Windows podem ser disruptivas. Algumas mudanças podem gerar reações viscerais dos usuários como perguntas do tipo 'Como posso desativar isso?'", diz Chaitanya Sareen, líder de programa da equipe de evolução da experiência da Microsoft., no blog para desenvolvedores .

Para a Microsoft, a interface Metro trata-se de uma evolução natural do menu "Iniciar", que permite que o usuário acesse os aplicativos e todas as funções do sistema operacional. Esta evolução, segundo Chaitanya, é necessária para se adaptar a novos tipos de hardware, em especial as telas sensíveis ao toque que, além de tablets, já marcam presença em alguns modelos de monitores. "É uma oportunidade para que façamos um trabalho melhor ao prover uma interface mais limpa, poderosa e uniforme que atenda uma variedade de aplicativos e PCs que usamos hoje em dia", escreveu ela no blog.

Menu "Iniciar" deve funcionar melhor que no Windows 7

Apesar de melhorar a interface do menu Iniciar desde o lançamento do Windows 95, a Microsoft afirma que alguns problemas do recurso no Windows 7 ainda incomodavam a equipe de experiência de usuário da Microsoft. Entre eles, o menu não aproveita bem a área de tela disponível, é difícil de personalizar e os ícones dos programas são estáticos. "É preciso considerar que o menu Iniciar nasceu em uma época em que não usávamos nossos PCs da mesma maneira que hoje", diz Chaitanya.

Gráfico mostra porcentagem de usuários x quantidade de aplicativos fixos na barra de tarefas do Windows 7
Divulgação
Gráfico mostra porcentagem de usuários x quantidade de aplicativos fixos na barra de tarefas do Windows 7
Com estes problemas, a Microsoft percebeu que os usuários passaram a usar o menu Iniciar 11% menos nos últimos anos. "Estamos falando de uma parte fundamental do sistema que as pessoas estão usando cada vez menos", diz Chaitanya. O motivo, segundo ela, é a possibilidade de fixar ícones de programas na barra inferior do Windows, bem como páginas de web - este último foi um recurso que estreou no Windows 7.

Com isso, a barra de tarefas do Windows, segundo Chaitanya, evoluiu o conceito de menu Iniciar e passou a mostra todos os programas que importam para o usuário de uma só vez.

Segundo a Microsoft, a interface Metro deve melhorar atender melhor a demanda dos usuários, porque oferecerá mais espaço para fixar programas, busca instantânea melhorada, widgets que mostram informações atualizadas e recursos para personalizar a página inicial de diversas maneiras. "O menu Iniciar se transformou em uma melhorada tela inicial", diz Chaitanya.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.