Em uma forma que promete analisar facilmente os sintomas da doença


Por Daniel Pavani

Um novo dispositivo criado pelos pesquisadores do Media Lab, no MIT, pretende mostrar como algo impensável pode ser utilizado para um teste clínico. Utilizando smartphones, os cientistas conseguiram desenvolver um teste mais simples, mais barato e mais eficiente para exames de catarata.



Quem já fez exames de catarata em qualquer oftamologista, sabe o quanto eles são desagradáveis. Os pesquisadores do Media Lab criaram, então, o CATRA , que pode fazer com que estes exames sejam mais simples e rápidos, podendo, inclusive, inferir com mais antecedência se um paciente poderá desenvolver a doença.

O blog Gadgetlab , do site da revista Wired, destaca que não apenas o invento é mais barato e mais fácil de usar, como ainda produz melhores resultados do que os métodos convencionais. O site explica que os testes normais da doença utilizam o fenômeno de espalhamento reverso da luz no cristalino do olho. Em pessoas com a doença, a luz é espalhada e não chega à retina, causando um tipo de cegueira.

Porém, o que os pesquisadores do MIT fizeram foi medir o espalhamento da luz para o interior do globo ocular, ou seja, medir a quantidade de luz que chega à retina, e em que situação isso acontece. Eles criaram um aplicativo para smartphone, o qual é acoplado um dispositivo pelo qual o paciente possa olhar. O app emite raios de luz para cada seção da retina e o paciente ajusta sua intensidade com um pad direcional do smartphone. Os dados são utilizados pelo app para a criação de um mapa da retina, podendo servir para a identificação dos sintomas da catarata.

O CATRA está prestes a iniciar um período de testes antes do lançamento oficial.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.