Aparelhos da linha Vertu, com componentes feitos de metais preciosos, custam mais de R$ 500 mil

A Nokia pode vender em breve sua divisão de celulares de luxo, os mais caros do mundo, de acordo com fontes do jornal Financial Times . A divisão, criada em 1998, fabrica celulares que incluem componentes feitos de metais preciosos e acabamento refinado, que custam mais de R$ 500 mil (US$ 314 mil). Com a divisão de celulares de luxo, a Nokia obtém receita anual de cerca de R$ 720 milhões (US$ 402 milhões).

Celulares da linha de luxo Vertu custam mais de R$ 500 mil
Getty Images
Celulares da linha de luxo Vertu custam mais de R$ 500 mil
Os celulares da linha de luxo, chamada Vertu, são vendidos em mais de 60 países, embora a maioria dos compradores sejam da Ásia e Oriente Médio. As vendas são feitos por meio de distribuidores do mercado de luxo e por lojas da Nokia dedicadas ao produto. Um dos possíveis compradores, segundo o jornal, é o banco Goldman Sachs, mas as negociações ainda estariam em estágio inicial.

Os celulares da linha Vertu tem especificações modestas, mas possuem alguns recursos exclusivos. Todos os modelos, por exemplo, possuem um botão lateral que, quando acionado, conecta o usuário a um serviço de assistente pessoal da Nokia: atendentes podem chamar táxis e reservar restaurantes para os usuários.

Recentemente, a empresa lançou um novo modelo de celular da linha Vertu, chamado Constellation, que roda Symbian e tem tela sensível ao toque de 3,5 polegadas com tecnologia Amoled.

A venda da divisão de luxo, segundo o jornal, permitiria que a Nokia direcionasse mais investimentos para sua divisão de smartphones com sistema operacional Windows Phone, desenvolvido pela Microsoft. Em fevereiro, a empresa decidiu adotar a plataforma da Microsoft como a única usada em smartphones da marca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.