iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

31/01 - 14:13hs

Polícia francesa troca Windows por Linux

"Gendarmerie Nationale" irá adotar o Ubuntu como sistema operacional em seus 70.000 desktops

Rafael Rigues

A "Gendarmerie", força policial militar francesa, anunciou um programa de migração de sua infra-estrutura de TI do Windows para o Linux. A decisão é o próximo passo em um programa que iniciou em 2005 com a adoção de um conjunto de aplicativos de escritório Open Source (o OpenOffice.org) rodando sobre plataforma Windows, e prosseguiu em 2006 com a adoção do Mozilla Firefox como navegador padrão.


Os 70.000 desktops da organização atualmente rodam o Windows XP. A migração será gradual: o Linux entra em cena sempre que for necessário substituir uma máquina que roda o Windows. A expectativa é de substituir entre 5 a 8 mil máquinas Windows por equivalentes com Linux em 2008, e de 12 a 15 mil nos próximos quatro anos, com a meta de que todos os desktops estejam rodando o sistema operacional até 2014. Novos computadores adquiridos durante este período já entrarão em operação com Linux.


O sistema operacional escolhido é o Ubuntu. Segundo Nicolas Geraud, diretor de TI da Gendarmerie, os motivos para a migração são a diversificação de fornecedores, para que a estrutura não fique nas mãos de uma única empresa, o domínio tecnológico sobre os softwares utilizados e a redução de custos. Em 2004, a organização adquiriu 13 mil licenças para conjuntos de aplicativos de escritório. Mas desde a migração para soluções livres, há três anos, o número diminuiu para 27 licenças, uma economia significativa.


A adoção de aplicativos e sistemas baseados em Software Livre parece ser uma tendência na França. No início deste ano, a assembléia nacional francesa, equivalente à nossa Câmara dos Deputados, anunciou a adoção do Ubuntu como sistema operacional em 1.200 de seus computadores, além do conjunto de aplicativos de escritório OpenOffice e do navegador Firefox.


Com informações da Associated Press


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias