iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

27/01 - 16:45hs

Apple lança o iPad
Tablet tem tela de 9.7 polegadas e roda os mesmos aplicativos do iPhone.

Rafael Rigues

Depois de anos de expectativa, a Apple finalmente apresentou à imprensa, durante um evento no Yerba Buena Center for the Arts Theater em San Francisco, na Califórnia, seu aguardado "tablet". O evento foi conduzido por Steve Jobs, que após uma rápida menção a números da Apple foi direto ao assunto: a "mais nova criação" da Apple é um produto que é um meio-termo entre um smartphone e um notebook.

Leia também
»
Tudo sobre o iPad
» Veja fotos do iPad
» Tablet? Que bicho é esse?
» iTablet? Ou algo totalmente diferente?
» Executivo confirma tablet da Apple antes do lançamento
» Blogueiro afirma já ter o tablet da Apple

"iPod gigante"

Nas palavras de Jobs, é um produto que é "muito melhor que eles" em tarefas como navegação na web, e-mail, compartilhamento de imagens, reprodução de vídeos, de música, jogos e leitura de e-Books. Este produto é o "iPad". O aparelho se parece com um "iPhone gigante", confirmando a autenticidade de imagens que "vazaram" na internet poucas horas antes do evento. Sem teclado, como seu irmão menor, e uma grande tela sensível ao toque, o iPad parece feito sob medida para navegar na Web, sendo capaz de mostrar um site inteiro na tela de uma só vez, sem necessidade de "rolar" a página.

Sentado em um sofá no palco, o CEO da Apple demonstrou o produto simulando a experiência de um usuário comum, navegando na web, lendo e escrevendo e-mails e vendo fotos. A lista de recursos é familiar a qualquer usuário do iPhone: e-mail, fotos, calendário, mapas, YouTube (em HD) e mais. Segundo Jobs, "é fantástico para ver filmes e TV". Um aplicativo muito similar ao iTunes nos Macs (e PCs) permite acesso à iTunes Store, para compra de filmes e músicas, ou a reprodução de conteúdo armazenado no próprio aparelho ou em um computador próximo.

AFP
Jobs mostra o iPad ao público

O iPad tem apenas 1,2 cm de espessura e pesa 680 gramas. A tela é multi-touch como no iPhone, com 9.7 polegadas e tecnologia IPS, que permite visualização da imagem sem distorções em praticamente qualquer ângulo, corrigindo um dos principais problemas com telas LCD. A memória interna vai de 16 a 64 GB, e o processador, batizado de "A4", é criação da própria Apple e roda a 1 GHz.

A parte de telecomunicações conta com interface Wi-Fi 802.11n e Bluetooth 2.1. Haverá modelos do iPad com modem 3G integrado, comercializados em parceira com a operadora de telefonia norte-americana AT&T. Dois planos de dados estarão disponíveis aos usuários: um com 250 MB de tráfego mensal por US$ 14,99 e um com tráfego ilimitado por US$ 29,99, e ambos incluem acesso gratuito aos hotspots Wi-Fi da AT&T.

Veja abaixo um vídeo sobre o iPad.

Segundo Jobs, os planos de dados são pré-pagos: não há um contrato de fidelização, e o usuário pode cancelar o serviço quando quiser. Os modelos do iPad com 3G serão desbloqueados, o que permitirá seu uso em outras operadoras. Segundo Jobs, "acordos internacionais" serão anunciados a partir de junho.

O iPad tem autonomia de bateria de 10 horas de uso contínuo, o suficiente para ir "de Nova Iorque a Tóquio assistindo filmes", ou um mês em espera.

Preço

Rumores que circulavam pela internet antes do lançamento mencionavam que o iPad teria um preço na casa dos US$ 1.000. Mas segundo Jobs, durante o desenvolvimento a equipe manteve uma meta de preços "agressiva".

O iPad estará disponível em três modelos com Wi-Fi, com memória interna de 16, 32 ou 64 GB, e preços de US$ 499, US$ 599 e US$ 699, e chegam às lojas "mundialmente" em 60 dias. Já os modelos com 3G, com a mesma capacidade de armazenamento, saem por US$ 629, US$ 729 e US$ 829, e estarão disponíveis nos EUA em 90 dias. 

Aplicativos de iPhone

Segundo Scott Forstall, executivo da Apple encarregado de software para o iPhone, o iPad roda os mesmos aplicativos do iPhone, sem modificações. Eles podem rodar no centro da tela, em tamanho original, ou em "tela cheia", com a imagem redimensionada por software. Em demonstração no palco, o executivo rodou de clientes para o Facebook a jogos, todos "direto da App Store", sem problemas.

Mas o iPad é mais poderoso que um iPhone, e desenvolvedores poderão tirar proveito das características únicas do produto, como a tela de alta-resolução, com uma versão atualizada do kit de desenvolvimento para o iPhone (iPhone SDK) que está disponível para download "desde já".

Várias empresas subiram ao palco para demonstrar seus aplicativos, que vão de um leitor para o NY Times a um software de desenho (ou "pintura com os dedos") batizado de Brushes e jogos da Electronic Arts como uma versão de "Need for Speed". Na App Store, os aplicativos otimizados para o iPad ganharão um destaque especial.

iBooks

Jobs também demonstrou um aplicativo que transforma o iPad em um livro eletrônico, concorrente direto de alternativas como o Kindle, da Amazon, e o Nook, da Barnes & Noble. Em uma nova loja batizada de iBook Store a Apple irá comercializar títulos de cinco das principais editoras norte-americanas: Penguin Books, Harper Collins, Simon & Schuster, Macmillan e Hatchett book group.

Livros baixados são organizados automaticamente em uma "prateleira", como já acontece em softwares similares para o iPhone e outros smartphones. A navegação é feita com toques: um toque à direita para avançar a página, um toque à esquerda para voltar. "É tudo tão simples", disse Jobs.

Produtividade pra viagem

Phil Schiller, Vice-Presidente Sênior de Marketing de Produtos da Apple, subiu ao placo para apresentar uma versão do iWork, o conjunto de aplicativos de escritório da Apple (com editor de textos, planilha e software para apresentações) feita "sob medida" para o iPad.

Ao contrário de outros aplicativos "office" para smartphones, que são limitados a visualização de documentos, o iWord para o iPad permite trabalhar como na versão para Mac, com a edição e criação de textos e apresentações.

Segundo Schiller a interface do programa foi redesenhada, mas todos os recursos presentes na versão desktop estão presentes, como as animações e efeitos especiais em gráficos e tabelas. É possível conectar o iPad a um projetor, tornando possível fazer apresentações sem ter de carregar um notebook por aí.

A nova versão do iWork não será gratuita. Estará disponível na App Store, exclusivamente para o iPad, por US$ 9,99 cada aplicativo (Pages, Keynote, Numbers).


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias