iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

02/09 - 18:19hs

Fora do ar desde ontem, Migre.me perde banco de dados
Com o problema, os endereços que os usuários encurtaram por meio do serviço param de funcionar

Claudia Tozetto, iG São Paulo

Desde a uma hora da madrugada de ontem (1), o serviço de encurtador de URLs brasileiro Migre.me está fora do ar. A empresa de data center que armazenava o site e seu banco de dados planejava fazer manutenção no servidor durante 30 minutos, mas o site não voltou ao ar após o período.

Ken criou o Migre.me em fevereiro de 2009. Por meio do serviço, os usuários encurtam os endereços de sites que compartilham no Twitter. Segundo Ken, o serviço tem mais de 10 milhões de usuários.

Jonny Ken, criador do Migre.me, passou a madrugada toda em contato com a empresa do data center, de acordo com seu depoimento em vídeo no YouTube.

Os técnicos diziam não conseguir acessar as informações do Migre.me no servidor e, às seis horas da manhã, informaram Ken que perderam todos os dados armazenados na máquina. “Fui informado que o backup do site ficava neste mesmo compartimento”, diz Ken. Assim, a única cópia do banco de dados também foi perdida. Ken explica os detalhes no vídeo abaixo:

O contrato de Ken com o data center previa o backup dos dados armazenados, porém, não informaram que a cópia dos arquivos estava no mesmo servidor. “Tenho uma cópia do código-fonte do Migre.me comigo”, diz Ken. Mesmo assim, ele pede desculpas por não ter verificado como o backup dos dados era feito. Ele não informa no vídeo o nome da empresa de data center.

Ken ainda não fala sobre o futuro do Migre.me. Segundo ele, a empresa de data center tenta recuperar os arquivos, mas para ele a credibilidade do serviço foi abalada. “Muito tempo de vida dedicado ao serviço foi perdido, não sei o que acontecerá agora”, diz.

Com o Migre.me fora do ar, os endereços encurtados pelos usuários por meio do serviço e enviados por meio do Twitter param de funcionar. As URLs curtas não localizam mais a URL original, que fica armazenada no banco de dados do Migre.me, depois que o usuário utiliza o serviço.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


publicidade

Contador de notícias