Empresa afirma que o modelo australiano é diferente do americano

Por Bianca Hayashi, da MAC+

Ontem, 1 de agosto, foi divulgado que a Apple tinha impedido as vendas do Galaxy Tab 10.1 na Austrália, por infringir cerca de dez patentes relacionadas ao iPad. Hoje, dia 2, a Samsung diz que mantém seus planos de vender o tablet no país e o acordo com a Apple diz respeito a uma versão do aparelho que não seria comercializada no mercado australiano.



Em comunicado , a empresa sul coreana diz:

A Apple Inc. entrou com uma reclamação na Corte Federal da Austrália a respeito do Samsung Galaxy Tab 10.1, uma versão que a Samsung Electronics não pretende vender no país. Nenhum aviso foi dado pela corte e os dois lados concordaram que este tablet não seria vendido na Austrália.

Um outro Samsung Galaxy Tab 10.1 será vendido no mercado australiano no futuro.

Esta decisão não afeta os outros smartphones ou tablets da Samsung disponíveis na Austrália ou em outros países. A Samsung continuará defendendo e protegendo sua propriedade intelectual para continuar inovando e crescendo no mercado de comunicação móvel.

Florian Mueller, do FOSS Patents , acredita que a Samsung está escondendo a situação real com um comunicado vago. Ele chama o texto de admissão de problemas sérios porque ele nega apenas um caso e faz uma pincelada pelos problemas realmente importantes.

Isso porque a empresa não revelou a data de lançamento do Galaxy Tab 10.1 na Austrália e ainda indicou que começará a vender o produto em algum dia, independente da autorização da corte.

Em segundo lugar, não explica quais as patentes que a versão a ser lançada não infringiu as alegadas pela Apple. De acordo com o Mac Observer , sem uma alteração na tela sensível ao toque, por exemplo, o Galaxay Tab 10.1 australiano é apenas superficialmente diferente do modelo americano, que é a causa de toda a discórdia entre a Apple e a Samsung.

O site diz ainda que, por este comunicado, a Samsung pode estar dando uma dica de que o caso da Apple é mais consistente do que eles querem admitir.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.