Alterações devem ser implementadas em seis meses a pedido de autoridades da Irlanda

Cerca de um mês após ter sido obrigado a fechar um acordo com autoridades de privacidade dos Estados Unidos , o Facebook agora terá que mudar suas regras de privacidade para usuários da Europa. As medidas serão tomadas após uma investigação feita por autoridades de proteção à privacidade da Irlanda. Como a sede do Facebook na Europa fica na Irlanda, cabe às autoridades daquele país fiscalizar as atividades da rede social e assegurar que elas estejam de acordo com as leis da União Europeia.

LEIA TAMBÉM:
Como controlar sua privacidade no Facebook
Punição ao Facebook reacende debate sobre privacidade
"Nunca compartilhamos dados pessoais com anunciantes", diz Facebook

Zuckerberg, do Facebook: na mira de autoridades dos EUA e Europa
Getty Images
Zuckerberg, do Facebook: na mira de autoridades dos EUA e Europa
A investigação durou três meses e o Facebook se comprometeu a implementar as mudanças até julho do ano que vem, quando haverá uma nova avaliação das autoridades. Entre as recomendações das autoridades irlandesas estão:

- informações mais claras sobre uso de dados pessoais por aplicativos do Facebook,
- mais transparência sobre o uso de informações pessoais em publicidade
- mais recursos para controlar a publicação e a marcação (tagging) de informações em perfis
- informações mais claras sobre o recurso de reconhecimento facial.

Problemas de privacidade são antigos

O Facebook tem um longo histórico de problemas com privacidade dos usuários. No início de 2010, após mudanças nas configurações de privacidade, o Facebook se tornou alvo de vários órgãos de proteção de dados pessoais. A pressão de governos e entidades privadas levou o Facebook a simplificar seus controles de privacidade . Mas a rede social continou sob vigilância de autoridades de diversos países.

Em novembro deste ano, o assunto voltou a ser debatido quando o Facebook fechou um acordo com o FTC , órgão que fiscaliza o uso de dados pessoais por empresas nos Estados Unidos. Na ocasião, Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook, admitiu que a empresa havia cometido erros e se comprometeu a trabalhar com as autoridades para resolver as questões de privacidade da rede social.

Falha de privacidade afetou Zuckerberg

O assunto privacidade voltou a ser tema alguns dias atrás, após a descoberta de uma falha no Facebook. A brecha permitia acessar fotos privadas de qualquer usuário. Bastava denunciar uma foto pública como ofensiva para que o Facebook mostrasse outras fotos (incluindo privadas) da pessoa denunciada. Internautas aproveitaram a falha para divulgar fotos privadas de Mark Zuckerberg .

    Leia tudo sobre: facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.