Software criado por aluno da Universidade de Duke pode duplicar a capacidade das baterias de smartphones e laptops

Por Guilherme Abati

Um estudante de graduação da Universidade de Duke fez uma descoberta que promete melhorar a vida de todos os geeks. Justin Manweiler, o criador do software SleepWell, não é nem formado, mas já mostrou ter uma carreira promissora daqui pra frente. Ele desenvolveu o aplicativo depois de perceber que um tablet, por exemplo, fazendo download via 802.11 na presença de outro aparelho Wi-Fi, era forçado a permanecer ligado enquanto esperava o download, gastando mais energia desse modo, explica o jornal estudantil Duke Today

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter


O Wi-Fi, popular tecnologia que permite que dispositivos conectem-se à internet sem a utilização de fios, é, apesar de todos seus benefícios, uma fonte de perda de capacidade e performance das baterias, já que a interação de um aparelho wireless com outros consome grandes porções de energia.

O que ocorre com o wireless é que os aparelhos precisam permanecer acordados antes de ter acesso às informações pretendidas. Isso significa, por exemplo, que a perda de energia em gadgets Wi-Fi enquanto baixam um filme em São Paulo, onde a densidade de sinais de dispositivos wireless é muito grande, seria muito maior se comparada ao que aconteceria em um notebook em Campinas, baixando o mesmo filme, já que o número de redes Wi-Fi disponíveis é consideravelmente menor.

De acordo com o TechBlorgue , o software SleepWell elimina esse problema fazendo com que os aparelhos durmam enquanto aguardam sua vez de baixar informações e assim reduzam o gasto de energia. Grandes cidades enfrentam o pesado trânsito da hora do rush quando os trabalhadores deixam seus emprego em horários semelhantes. Mas se os horários fossem mais flexíveis, companhias diferentes poderiam reduzir o rush diz Manweiler.

O mesmo princípio é aplicável em dispositivos móveis que tentam acessar a Internet ao mesmo tempo. O Sleepwell disponibiliza pontos de acesso à rede Wi-Fi que não se sobrepõem a outros, resultando em ganhos de energia e performance. No caso do iPad, que afirma oferecer 10 horas de uso com bateria, o ganho é impressionante e os dispositivos Android, conhecidos pela vida curta de suas baterias, poderão ser bastante beneficiados com a descoberta de Manweiller.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.