Produto ainda enfrenta escassez de aplicativos e oferece poucas opções em português

O PlayBook, tablet da BlackBerry, pesa 425 gramas
iG São Paulo
O PlayBook, tablet da BlackBerry, pesa 425 gramas
A Research In Motion (RIM), fabricante dos smartphones BlackBerry, está lançando no mercado brasileiro seu primeiro tablet, o PlayBook. O tablet de 7 polegadas conta com sistema operacional QNX e está disponível a partir de R$ 1.650 em sua versão mais básica (com memória de 16GB).

O PlayBook é a aposta da RIM no mercado de tablets, dominado pelo iPad, da Apple. O tablet conta com processador de 1 GHz com dois núcleos, 1 GB de memória RAM, duas câmeras que filmam em HD (1080p), sendo uma frontal com 3 megapixels e uma traseira com 5 megapixels, saída HDMI (com cabo incluso) e conexões Wi-Fi e Bluetooth. A bateria, segundo a RIM, dura 8 horas em navegação.

O QNX, sistema operacional desenvolvido pela empresa, suporta vídeos em Flash ou HTML5 e também conta com recurso de zoom durante a reprodução de vídeos no aparelho.

Com peso de 425 gramas e 10 milímetros de espessura, o tablet já está disponível no Brasil com preços de R$ 1.650 (16GB), R$ 1.950 (32GB) e R$ 2.300 (64GB), mas é possível encontrar descontos promocionais de R$ 350 nas versões do aparelho em alguns varejistas. De acordo com o João Stricker, diretor comercial da RIM no Brasil, o desconto pode ser estendido até o Natal.

Apenas 3 mil aplicativos em todo o mundo

O PlayBook chega ao Brasil ainda sem resolver alguns problemas que motivaram críticas após seu lançamento nos Estados Unidos, como a falta de aplicativos. Segundo a RIM, a loja de aplicativos do tablet, a BlackBerry App World, possui atualmente apenas 3 mil aplicativos. Outras lojas de aplicativos, como a App Store, da Apple, possuem quase 400 mil aplicativos. Já a Android Market, para dispositivos com Android, possui cerca de 300 mil aplicativos.

Ontem, durante a apresentação da BBX , nova versão da plataforma para smartphones e tablets BlackBerry, Mike Lazaridis, co-CEO da RIM, fez um apelo aos desenvolvedores para que continuem a desenvolver aplicativos para os aparelhos da marca.

Entre os recursos que faltam no tablet PlayBook estão a conexão 3G e também os aplicativos nativos de cliente de e-mail e também de mensagens instantâneas, o popular BBM. Segundo a empresa, porém, o produto não conta com os recursos, porque é possível conectar o aparelho ao smartphone BlackBerry, que já os oferecem. Por meio de um recurso chamado BlackBerry Bridge, o usuário pode se conectar à internet por meio da rede 3G do celular, bem como acessar os aplicativos de e-mail e o BBM enquanto os dois aparelhos estiverem sincronizados.

A RIM anunciou alguns aplicativos em português que virão pré-instalados no PlayBook, entre eles o aplicativo do banco Bradesco, da rede de cinemas Cinemark, das redes sociais Facebook e Twitter, além de aplicativos de jornais e revistas. O tablet também conta com editor nativo de documentos, como planilhas, slides e textos, e o Adobe Reader, leitor de documentos em PDF. Os executivos da RIM não revelaram quantos aplicativos para o PlayBook estão disponíveis em português.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.