Uma pequena tela de quase 3 polegadas e um design bem atraente. É isso que se vê por fora do Xperia X10 mini

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=tecnologia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1597102056063&_c_=MiGComponente_C


Por Stella Dauer

Quando a Sony Ericsson anunciou o Xperia X10 mini, ninguém imaginava que ele seria TÃO pequeno . Assim que tiramos da caixa, pensamos que tínhamos pegado um mp3 player por engano. Sua tela de 2,6 polegadas e os únicos três botões frontais fazem dele o menor Android do mundo, que cabe na palma da mão. Isso pode ser útil ou ruim, isso porque ele é pequeno o suficiente para ser discreto, mas pode ser minúsculo para executar algumas tarefas como escrever mensagens e jogar.

Stella Dauer

Xperia 10 miniaturizado

Sua traseira é convexa para se encaixar direito na mão, e ele lembra muito um Xperia X10 miniaturizado. A capinha prateada extra que vem na caixa ajuda a dar um visual diferente. Também vemos a câmera, o flash e o colorido logo da empresa. Na parte da frente quase tudo é dominado pela tela de quase três polegadas, exceto pela área onde repousam os três botões físicos padrões do Android.

Do lado direito temos o volume e o botão para fotos, enquanto que em cima temos o botão de energia e embaixo fica a conexão microUSB ¿ protegida por uma capinha ¿ e a entrada semi-padrão para fones (embaixo? Eca). E todo o acabamento é em plástico, inclusive na tela, não possuindo qualquer resistência a riscos.

A polêmica interface Rachael

A interface desenvolvida pela Sony Ericsson em cima do Android, chamada Rachael, é muito bela, como a maioria dos modelos dessa marca. Suas cores e ícones o deixam mais belo que o visual dos aparelhos dos outros fabricantes, embora nem de longe possamos comparar o conforto de um e de outro devido a tela. Só é possível colocar um widget ou atalho por tela ¿ que são apenas cinco ¿, além dos quatro atalhos que ficam nas bordas.

Stella Dauer


Não há qualquer teclado físico. Assim, você vai ter que penar para escrever na tela de toque pequena com um teclado alfanumérico! Pois é, a Sony Ericsson quis bagunçar com a vida do usuário e não se preocupou em pelo menos colocar um teclado QWERTY na tela, mancada. Além disso, de tão pequeno que é, tivemos dificuldades para ouvir em algumas ligações. Pra compensar, a tela de toque é extremamente sensível.

Para se diferenciar mais ainda dos outros modelos com Android existe o Timescape, uma interface que reúne todo o conteúdo dos seus contatos durante o dia em uma grande imagem, algo parecido com o Motoblur, mas muito aprimorado. Nele ficam emails, SMS , fotos, Twitter e outros. O Mediascape, interface para navegar por músicas e imagens não vem no X10 mini, só no X10.

Quando lançado, o sistema operacional do X10 mini era o Android 1.6, uma versão bem atrasada. Agora a Sony Ericsson fez o update para o 2.1, o que deixou o aparelho mais rápido e mais esperto em várias funções. Mas isso deixa de lado o melhor gerenciamento de aplicativos e também o multitoque que ¿seria muito útil mas ¿ não funciona.

Filmes, fotos e músicas

Assim sobra apenas o tocador de músicas simples do Android e a câmera simples do X10 mini. Simples mesmo, já que ela tem pouquíssimos modos de ajuste. Ela faz fotos com qualidade em seus 5 megapixels com autofoco e flash de LED , tanto de dia como de noite, mas não poder fazer qualquer ajuste, colocar zoom ou aplicar filtros é mais uma bola fora, apesar de deixar a câmera bem fácil de manipular.

Sua tela é bem pequena para ver vídeos, mas eles rodam. Se você quer um celular para colocar Lost em dia, escolha um com tela maior. O tocador de música vem com identificador de canções e, como todo Sony Ericsson, apresentou incrível qualidade de som com os fones intra-auriculares que o acompanham. O som externo impressionou pelo tamanho do aparelho, melhor do que outros modelos como o Wave e o Milestone.

E no armazenamento, mais uma caquinha. São apenas 160MB de memória interna, e como ele não está atualizado para o 2.2, não é possível instalar nada no cartão microSD de 4GB que acompanha o X10 mini. Ele acaba ficando mesmo para armazenar mídia.

O que mais?

Para reiniciar o aparelho é preciso usar um botão, já que não é possível remover a bateria. Bateria essa que durou aproximadamente 6 horas com uso moderado. Nem bom e nem ruim, mas te obriga a levar o carregador por aí. Se você só quiser ouvir música, a bateria dura aproximadamente 8 horas.

Stella Dauer


Uma coisa legal é o sensor de luz, que muda automaticamente o brilho da tela conforme a luz do ambiente. O GPS é rápido e funciona bem com o programa de mapas do Google e com o Wisepilot, aplicativo para navegação, além de servir para geolocalizar as fotos capturadas. O Wi-Fi é muito rápido, baixou vários arquivos ao mesmo tempo em questão de minutos. O Bluetooth não fez feio, se comportou normalmente.

Somos só elogios para o Android Market, a lojinha de aplicativos do Android. Tudo o que serve em aparelhos maiores serve nesse, só que em uma tela menor. Por isso, a mesma variedade de qualidade está disponível para o X10 mini, mas talvez com uma usabilidade prejudicada.

Prós:

¿ Bonito design;

¿ Compacto e discreto para uso na rua;

¿ Ótima qualidade de som;

Contras:

¿ Teclado alfanumérico;

¿ Tela sem multitoque;

¿ Pode ser muito pequeno para algumas mãos e dedos;

Mais resenhas em stelladauer.geek.com.br .

Sony Ericsson Xperia X10 mini

Preço: R$612

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.