Volume de dados deve chegar a 4,8 zetabytes em 2015

(Reuters) - A fabricante de equipamentos de rede Cisco Systems afirmou que o tráfego global de dados de computação em nuvem crescerá a uma taxa anual composta de 66 por cento entre 2010 e 2015, conforme consumidores e empresas buscam acesso sem limites a conteúdo e aplicativos.

Até a metade desta década, mais de um terço de todo o tráfego de data centers será baseado na nuvem, que permite armazenagem e acesso remoto a dados, afirmou a Cisco na publicação Global Cloud Index, publicada nesta terça-feira.

O tráfego global de data centers irá avançar em quatro vezes, a uma taxa de crescimento anual composta de 33 por cento entre 2010 e 2015, segundo a Cisco.

Isso se traduz em um tráfego de dados de 4,8 zettabytes por ano em 2015. Haveria o mesmo fluxo de dados se todo homem, mulher e criança assistissem um filme completo uma vez por dia ao longo de um ano.

"O que é surpreendente é como os dados estão se movimentando atualmente, começamos com um zettabyte", disse o vice-presidente de marketing de produtos e soluções, Suraj Shetty, referindo-se a 2010, quando o tráfego anual de dados no mundo era de 1,1 zettabyte, que equivale a um trilhão de gigabytes.

"A evolução dos serviços de computação em nuvem é motivada em grande parte pela expectativa de usuários de acessar aplicações e conteúdo a qualquer momento, de qualquer lugar, com qualquer rede e qualquer aparelho", disse a Cisco.

A empresa de pesquisas de tecnologia Forrester estima que o mercado global de computação na nuvem (cloud computing, em inglês) atingirá 241 bilhões de dólares em 2020, ante 41 bilhões de dólares neste ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.