Rede social deve começar a suportar aplicativos de terceiros e uso de pseudônimos em breve

Os usuários da rede social Google+ compartilharam mais de 3,4 bilhões de fotos nos últimos 100 dias, de acordo com discurso de Vic Gundotra, vice-presidente de serviços sociais do Google, durante o evento Web 2.0 Summit, realizado em São Francisco (EUA). De acordo com o site TechCrunch , o executivo se mostrou surpreso com a quantidade de imagens compartilhadas na rede social.

Perfil da conta de Eric Schmidt no Google+
Reprodução
Perfil da conta de Eric Schmidt no Google+
O Google lançou o Google+ no final de junho deste ano para competir com o Facebook, site de relacionamentos mais popular do mundo, com quase 800 milhões de usuários. No início, a rede social estava disponível apenas para convidados e só abriu ao público no final de setembro. De acordo com dados da comScore de agosto, a rede social já havia atraido 25 milhões de visitantes únicos até então.

Segundo Gundotra, o Google voltará atrás na decisão de impedir que usuários se cadastrem com apelidos ou pseudônimos . A partir do lançamento do novo recurso, as pessoas deverão informar seus nomes reais no cadastro do Google+, mas poderão adotar outros nomes em seus perfis públicos.

Integração com aplicativos

Desde o lançamento da nova rede social, alguns usuários reclamam que o Google+ não tem integração com aplicativos, como games e outros. Segundo Gundotra, a equipe do Google+ acreditava que teria mais tempo para desenvolver estas integrações, antes da rede social fazer sucesso. Agora que a rede social chegou a 40 milhões de usuários cadastrados, a equipe corre para integrar aplicativos.

Segundo Gundotra, o Google+ passará a suportar aplicativos "nos próximos dias". Sobre a liberação de interfaces de programação de aplicativos (APIs), aguardadas pelos desenvolvedores independentes, ele afirmou que o Google "está tendo uma abordagem cautelosa" em relação ao assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.