Em palestra durante a Campus Party, Kul Wadhwa pediu maior atuação dos brasileiros em protestos contra restrições de uso da web

Cerca de duas semanas após o protesto da Wikipedia contra os projetos de lei SOPA e PIPA , em discussão no Congresso americano, Kul Wadhwa, diretor da Wikimedia Foundation, justificou o protesto para os participantes da Campus Party . “Nós fizemos isso porque a nossa comunidade de usuários queria, não foi uma posição da Wikimedia como instituição”, disse ele a uma plateia lotada na tarde desta quinta-feira (9).

Wadhwa: a favor da liberdade de expressão na web
iG São Paulo
Wadhwa: a favor da liberdade de expressão na web
Durante o protesto contra SOPA e PIPA, que propõem punições para sites que infringirem as leis de direitos autorais dos Estados Unidos, a Wikipedia ficou fora do ar em 18 de janeiro. Em uma página na cor preta, a Wikimedia Foundation explicou os pontos da legislação proposta nos EUA que, segundo a entidade, pode ferir a neutralidade da rede e reduzir a liberdade de expressão na web.

Wadhwa mostrou dados da organização ProPública que mostram que, após os protestos ocorridos durante 18 de janeiro (que incluíram outras grandes empresas de internet, como o Google), o número de senadores americanos que reprovavam o SOPA e o PIPA aumentou drasticamente: antes dos protestos eram 80 apoiadores e apenas 31 oponentes; após os protestos, o número de opositores aumentou para 101 e o de apoiadores caiu para 65.

“Isso nos mostra que precisamos atuar sobre assuntos como este”, disse Wadhwa. Segundo ele, as ferramentas de internet devem ser usadas pelos jovens para “amplificar” suas opiniões, principalmente, no caso de oposição a projetos que possam, de alguma forma, reduzir a liberdade de expressão na web.

Brasileiros editam apenas 2% dos artigos

Um dos problemas que afetam a Wikipedia atualmente é a baixa adesão de novos editores para criar e editar os artigos da enciclopédia virtual. De acordo com Wadhwa, apenas 6% de todos os leitores da Wikipedia colaboram com a manutenção do site em todo o mundo. No Brasil, o número é ainda menor: apenas 2%. “Estamos contratando mais gente para atuar no Brasil, mas precisamos da ajuda de vocês”, pediu Wadhwa durante a palestra.

Rede social para voluntariado

O diretor da Wikimedia aproveitou sua passagem pelo Brasil para anunciar a criação de uma rede social para voluntariado, a Ayouda. O projeto, que está em fase de testes no Canadá, permite que os usuários peçam ajuda para completar tarefas do dia a dia e ofereçam ajuda a outros usuários. A rede social pode ser acessada por meio de aplicativo para iPhone.

“O projeto foi inspirado nos brasileiros, que sempre dão um jeitinho para conseguir fazer tudo”, disse Wadhwa, que é casado com uma brasileira. Segundo ele, uma versão em português da Ayouda deve ser lançada em breve. “É uma plataforma de ação social que funciona integrada com outras redes sociais, como Facebook e Twitter”, disse Wadhwa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.