Com mais de um celular por habitante, demanda para substituir aparelhos básicos por smartphones aumentará nos próximos anos

Chegada de asiáticas, como a Alcatel, ao Brasil tende a minimizar queda de vendas de celulares comuns
iG São Paulo
Chegada de asiáticas, como a Alcatel, ao Brasil tende a minimizar queda de vendas de celulares comuns
Com o crescimento de 102% na venda de smartphones que o Brasil deve registrar em 2011, o espaço para os celulares básicos, que não permitem navegar na internet nem instalar aplicativos, diminuirá gradativamente.

Em 2011, segundo dados da consultoria IDC, será a primeira vez que as vendas de celulares básicos enfrentarão queda no Brasil. "O preço dos smartphones, principalmente com Android, está ficando mais próximo dos celulares tradicionais", diz Bruno Freitas, analista de mercado da IDC.

Apesar de haver queda, ela ainda é pequena e deve ficar em torno de 4%. "Ainda não sabemos quando acontecerá a grande queda de vendas neste mercado", disse Freitas ao iG .

Entre os motivos da pequena queda, segundo Freitas, está a chegada ao Brasil de fabricantes asiáticos como Alcatel , Huawei , Micromax e ZTE , que ainda apostam no mercado de celulares básicos. "Mas, no ano que vem, a maioria deles já deve lançar mais modelos de smartphones no mercado brasileiro." Todas as fabricantes citadas já oferecem pelo menos um modelo de smartphone com Android no País.

Atualmente, são vendidos cerca de 45 milhões de celulares por ano no País. No mundo, o número de unidades vendidas chega a 1 bilhão de unidades, de acordo com a IDC, mas, ao contrário do Brasil, o mercado de celulares ainda cresce no mundo, apesar do avanço dos smartphones. "As vendas de celulares tradicionais cresceram 9% no ano passado e devem se manter estáveis nos próximos anos", diz Freitas.

Android lidera no Brasil

Os smartphones com sistema operacional Android, do Google, lideram no total de vendas desde o primeiro trimestre de 2011. A plataforma divide o pódium com o Symbian, sistema operacional da Nokia que será substituído pelo Windows Phone (Microsoft), e com o iOS, sistema operacional do iPhone.

"Na América Latina, o BlackBerry também está entre os líderes de mercado", diz Freitas. A Research in Motion (RIM), fabricante do BlackBerry, enfrenta uma crise devido à demora em lançar produtos à altura para competir com o iPhone e Android.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.