Maior enciclopédia online do mundo participa de “apagão” nas próximas 24 horas, enquanto o Google divulga sua oposição à lei

Wikipedia protesta contra projeto de lei SOPA
Reprodução
Wikipedia protesta contra projeto de lei SOPA
A Wikipedia, enciclopédia colaborativa online, cumpriu sua promessa nesta quarta-feira (18) e ficou fora do ar, em protesto contra a votação do projeto de lei SOPA (Stop Online Piracy Act), em discussão no congresso americano. Ao tentar acessar o site nas próximas 24 horas, em vez de ver os artigos colaborativos, os internautas encontram uma página preta com a mensagem “Imagine um mundo sem conhecimento livre”.

Leia mais:
Saiba mais sobre o SOPA, projeto que pode censurar a web

Por meio da página, a Wikipedia também afirma que, com o projeto de lei SOPA e o PIPA (Protect Intellectual Property Act), “o congresso americano está considerando uma legislação que pode, fatalmente, danificar a internet livre e aberta”. O texto também oferece um link para uma página oficial da Wikipedia (organizada pela própria Wikimedia Foundation), em que o internauta pode saber mais sobre o que é o projeto de lei SOPA e de que forma ele afeta os princípios fundamentais da internet.

Os projetos de lei SOPA e PIPA ganharam oposição de grandes empresas de internet, empreendedores e internautas, porque seu objetivo é o de impedir que sites estrangeiros reproduzam conteúdo desenvolvido nos Estados Unidos, de forma a infringir a lei de direitos autorais, mas em sua forma atual, a lei pode dar poderes aos EUA de censurar sites legítimos em operação na web. “Este é um problema que não afeta somente as pessoas nos Estados Unidos, mas em todo o mundo”, diz a Wikipedia, no comunicado.

O protesto antecede a votação do projeto PIPA, que deve ser discutido pelo congresso dos EUA na próxima semana, e do SOPA, que está marcada para o início de fevereiro. O projeto de lei tem o apoio de grandes empresas, como Microsoft, Apple, Adobe, AVG e Dell. Entre os outros sites que protestam contra as leis, com o “apagão” da internet, está também o serviço de blogs Wordpress, que exibe blogs com a tarja "Censurado" em sua página inicial .

Google divulga oposição ao projeto

Google:
Reprodução
Google: "Diga ao congresso: não censure a internet"
Embora não tenha participado do “apagão”, a versão americana do Google também apresenta hoje um link em sua página inicial que diz “Diga ao Congresso: Não censure a web”. A empresa havia anunciado hoje que protestaria contra o SOPA e o PIPA por meio da divulgação sobre as complicações que os dois projetos trazem para a liberdade de expressão na internet. Aos internautas que acessam a página a partir dos EUA, o Google exibe uma tarja preta sobre seu logotipo na página de busca.

O que você acha da SOPA? Opine no fórum.

O link na página inicial do Google nos EUA leva para um novo site “Pare com a pirataria, não com a liberdade”, que afirma que “milhões de americanos se opõem ao SOPA e PIPA, porque essas leis podem censurar a web e diminuir o ritmo do crescimento econômico nos Estados Unidos”. O site lembra que o congresso americano começa a votar as duas leis em 24 de janeiro, então é necessário assinar a petição online, caso o internauta seja contra o projeto também. Há também um infográfico (foto) que mostra o alcance da oposição ao SOPA e ao PIPA.

Por meio de seu blog oficial, o Google também se opôs ao SOPA e ao PIPA. Em texto publicado por David Drummond, vice-presidente sênior de desenvolvimento corporativo e diretor jurídico do Google, a empresa expõe os motivos pelos quais se opõe aos projetos de lei: segundo a empresa, o SOPA e o PIPA reduzirão o desenvolvimento econômico em todo o mundo, censurará a web, mas não impedirá a pirataria na web. “Os sites que praticam pirataria vão apenas trocar seus domínios, para continuar a fazer pirataria”, diz Drummond.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.