Tamanho do texto

Número de "nativos digitais" em países em desenvolvimento deve dobrar nos próximos cinco anos, de acordo com estimativa da União Internacional das Telecomunicações (UIT)

O mundo possui 363 milhões de nativos digitais, jovens com idade entre 15 e 24 anos que acessam a internet há cinco anos ou mais. Esse número representa pouco mais de 5% da população mundial, atualmente em cerca de 7 bilhões de pessoas. De acordo com estudo da União Internacional de Telecomunicações (UIT), com base em dados de 2012, o Brasil reúne pouco mais de 20 milhões de nativos digitais ou 10,2% dos cerca de 201 milhões de habitantes.

LEIA TAMBÉM:
Brasil mantém 62º lugar em ranking de países mais conectados, diz UIT

Brasil fica na 37ª posição no ranking de nativos digitais da UIT
Getty Images
Brasil fica na 37ª posição no ranking de nativos digitais da UIT

Os resultados colocam o Brasil na 37ª posição no ranking de países com maior porcentagem da população formada por nativos digitais, realizado pela primeira vez pela UIT em 2013, com base em dados de 2012. "A proporção de nativos digitais varia de 0,1% no Timor-Leste até 14% na Islândia", escreve a UIT, no relatório.

O índice de nativos digitais ainda é baixo na maioria dos países, pois apenas as pessoas que estão online desde 2007 foram consideradas. Nessa época, no entanto, apenas 21% da população global tinha acesso a internet.

Apesar de estar em uma melhor posição no ranking de nativos digitais do que no  Índice de Desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (IDI, na sigla em inglês), no qual aparece em 62ª posição, ainda há um longo caminho pela frente. Os jovens com idade entre 15 e 24 anos representam 16,8% da população total no Brasil ou 33,7 milhões de pessoas. Cerca de 60,2% dessa fatia possui acesso a internet há cinco anos ou mais.

Embora o Brasil tenha maior proporção de nativos digitais em relação à população total do que países como a Alemanha (38º lugar) e Japão (47º), nesses países a porcentagem de jovens com acesso a internet beira 100%. De acordo com a UIT, a Alemanha possui 8,2 milhões de jovens conectados há mais de cinco anos ou 94,2% das pessoas nessa faixa etária. No Japão, país com grande uso de tecnologia, existem 12,2 milhões de nativos digitais, 99,5% de todos os jovens.

"Os resultados mostram que os países com as maiores proporções de nativos digitais têm renda alta ou de média para alta e incluem países com altos níveis de penetração de internet, países nas primeiras posições do IDI e outros que possuem grande participação de jovens no total da população", explica a UIT, no relatório. Entre os países nas primeiras posições do ranking de nativos digitais estão Islândia, Nova Zelândia, Coreia do Sul e Estados Unidos.

Emergentes engatinham

A China se destaca como o país com maior concentração de nativos digitais em todo o mundo, com 75,2 milhões de pessoas com idade entre 15 e 24 anos com acesso a internet há mais de cinco anos. No entanto, assim como outros países em desenvolvimento, o país ainda precisa ampliar o acesso a internet: apesar da grande quantidade de pessoas, o número representa somente 5,6% da população total.

O Brasil fica em terceiro lugar entre os países emergentes em número de nativos digitais, logo atrás da China, com mais de 22 milhões de jovens. No entanto, o País fica em primeiro lugar ao considerar fatia de nativos digitais em relação à população total e também tem a maior proporção de nativos digitais entre os jovens, com 60,2%, seguido pela Rússia (49,6%) e China (34,7%). "Existe um grande número de jovens que começaram a usar a internet apenas mais recentemente, particularmente nos países emergentes", diz a UIT, no relatório.

A UIT prevê que a quantidade de nativos digitais nos países emergentes deve mais que dobrar nos próximos cinco anos. De acordo com os dados de 2012, 47% dos internautas nos países emergentes possui conexão de internet há menos de cinco anos. No total, segundo a UIT, são 648 milhões de internautas em todo o mundo, sendo que 503 milhões estão em países em desenvolvimento e os outros 145 milhões estão em países desenvolvidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.