Tamanho do texto

Brillo é um sistema operacional para a Internet das Coisas derivado do Android, enquanto o Weave é um protocolo de comunicação para todas as plataformas

Google anunciou também no I/O, evento para desenvolvedores, o Projeto Brillo, sistema operacional da Internet das Coisas
Divulgação
Google anunciou também no I/O, evento para desenvolvedores, o Projeto Brillo, sistema operacional da Internet das Coisas

Finalmente, o Google se pronunciou sobre a Internet das Coisas e mostrou, durante o primeiro dia de Google I/O, que pretende ter um papel de destaque além da Nest, empresa que adquiriu e que é conhecida por seus termostatos inteligentes. O Projeto Brillo, anunciado pelo vice-presidente sênior do Google, Sundar Pinchai, é um sistema operacional subjacente para a Internet das Coisas, derivado do Android.

LEIA MAIS:  Jaqueta, lâmpada e fechadura: veja exemplos do potencial da Internet das Coisas

Internet das Coisas está em casa, no carro e junto ao corpo do usuário

A plataforma foi, segundo o executivo, "polida" para trazer apenas as camadas mais baixas do sistema e rodar nos mais simples dos equipamentos. O Brillo dá suporte a redes Wi- Fi, Bluetooth Low Energy, e a outras conexões comuns em aparelhos como os da Nest. O preview do sistema estará disponível para desenvolvedores na primavera. 

Na conferência, Pinchai também anunciou a chegada do Weave, protocolo de comunicações que é parte do Brillo, desenvolvido em parceria com a Nest, que possui também um conjunto de APIs para desenvolvedores, um núcleo central de esquemas e um programa de certificação para assegurar a interoperabilidade entre dispositivo e aplicativo.

Basicamente, o Weave vai permitir que as coisas se comuniquem entre si e falem também com o smartphone e com a nuvem. O Weave não é apenas para Android, mas para todas as plataformas, e chega aos desenvolvedores no final do ano. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.