Tamanho do texto

Serviço é gratuito porque compartilha a conexão do usuário

Hola é um dos serviços mais populares para quem deseja ver vídeos e séries de outros países
Reprodução
Hola é um dos serviços mais populares para quem deseja ver vídeos e séries de outros países

Não existe almoço grátis, já diz o ditado. Nesta semana, um usuário do 8chan descobriu que o Hola, um popular programa para ver vídeos de outros países que são bloqueados no país de origem do internaura, vendeu a conexão de seus usuários para hackers que fazem ataques de negação de servidores, o famoso DDoS, isto é, quando um site é acessado tantas vezes em um curto período de tempo, que sai do ar.

LEIA MAIS:  Molecagem na escola transforma garoto em multimilionário

Compatível com praticamente todos os navegadores e com todos os sistemas operacionais para dispositivos móveis, o Hola tem mais de 46 milhões de usuários no geral, e nove milhões só da extensão para o Chrome, navegador do Google.

Segundo o site  TorrentFreak , os ataques foram feitos através do Luminati , serviço de VPN pago, normalmente utilizado por empresas, que por sua vez paga para usar a conexão dos usuários do Hola. Em apenas 30 segundos, milhares de requisições para uma página do 8chan foram feitas, derrubando o site segundo contou o operador do 8chan Fredrick Brennan. Basicamente, o Hola transformou alguns de seus milhares de usuários ao redor do mundo em uma rede botnet, ou seja, uma rede computadores que executam tarefas automatizadas e nem sempre dentro da lei pela internet, sem que o usuário saiba, é claro.

O Hola é um dos poucos serviços de VPN (sigla em inglês para uma Rede Privada Virtual construída em cima da internet, que é pública) gratuitos e sempre deixou claro, por meio da sua página de FAQ , que vendia a conexão dos seus usuários como contrapartida. No entanto, poucos são aqueles que se informam sobre como funciona o programa. Ao TorrentFreak, o criador Ofer Vilenski disse que aqueles que não desejarem compartilhar seu acesso a internet podem migrar para a opção paga por US$ 5 ao mês.

Depois do ocorrido, Vilenski disse que alguns ajustes no contrato com a Luminati foram feitos para impossibilitar novos ataques de negação e utilizações maliciosas. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.