Tamanho do texto

Serviço de streaming de música terá rádio global e editores

O CEO da Apple, Tim Cook, abraça o fundador da Beats by Dre e funcionário da Apple, Jimmy Iovine, responsável por apresentar o Apple Music na WWDC 2015
AP Photo/Jeff Chiu
O CEO da Apple, Tim Cook, abraça o fundador da Beats by Dre e funcionário da Apple, Jimmy Iovine, responsável por apresentar o Apple Music na WWDC 2015

O último grande anúncio da Apple nesta segunda-feira (8) foi o aguardado serviço de streaming de música, criado a partir da compra da Beats By Dre em 2014 , chamado de Apple Music. Apresentado por vários executivos, inclusive por Jimmy Iovine, agora parte da equipe da Apple e confudador da Beats by Dre, o Apple Music é uma plataforma que se diferencia, segundo o executivo, pela parte humana. Além de músicas por demanda mediante assinatura, o serviço terá uma rádio global 24 horas por dias, sete dias por semana, e um sistema de recomendações que promete ir além dos algorítmos, uma vez que terá também editores especializados. 

LEIA MAIS:  Apple apresenta o iOS 9, sistema operacional do iPhone e do iPad

MAIS WWDC:  Apple anuncia nova versão do sistema dos Macs, OS X El Captain

O Apple Music funcionará em todos os sistemas operacionais e equipamentos da Apple e, em breve, também no Android. O serviço começa a funcionar em 30 de junho em 100 países. Ainda não há informações sobre o Brasil. O plano mensal custará US$ 9,99 (cerca de R$ 30), mas os primeiros três meses serão gratuitos para testes. O Apple Music também terá um plano familiar no valor de US$ 14,99 (em torno de R$ 45). 

O programa é baseado em três recursos principais: My Music, New e For You. O primeiro, como o nome propõe, são as músicas que o usuário marca como sendo de sua preferência, o segundo reúne novidades, enquanto o For You mescla recomendações baseadas no algorítmo do software com sugestões selecionadas por editores especializados a partir do gosto do usuário. Como os demais concorrentes, o Apple Music chega com um catálogo de 30 milhões de músicas que poderão ser escutadas ao vivo, ou seja, por streaming, por álbum, playlist ou individualmente. 

Uma vez que a curadoria é a "alma do Apple Music", o serviço contará com uma equipe de especialistas, que vão criar listas de reprodução. Uma outra diferença da plataforma é a integração com a Siri, a assistente pessoal por comando de voz da Apple. É só pedir para a Siri tocar uma música que ele irá buscá-la no serviço de streaming.

A parceria com a Beats ficará representada pela Beats 1, uma rádio ao vivo, 24 horas por dia, sete dias por semana, de responsabilidade dos djs Zane Lowe em Los Angeles, Ebro Darden em Nova York e Julie Adenuga em Londres, que terá inclusive entrevistas com artistas. Além desta rádio, o serviço deverá ter outras rádios criadas a partir de gêneros musiciais mais populares na plataforma. Já com o Connect, o usuário poderá acessar páginas de artistas no serviço. Letras, fotos, vídeos e novidades poderão ser encontradas pelos fãs.

Serviço de streaming Apple Music funcionará em todos os sistemas da Apple e também no Android, do concorrente Google
Divulgação
Serviço de streaming Apple Music funcionará em todos os sistemas da Apple e também no Android, do concorrente Google


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.