Tamanho do texto

Representação a órgão de defesa da concorrência visa a proibir ações judiciais "despropositadas" e pressão sobre o legislativo

Uber: aplicativo desperta ira de taxistas
Reprodução
Uber: aplicativo desperta ira de taxistas

Uber do Brasil se juntou nesta semana aos estudantes que tentam impedir, por meio de um órgão do Ministério da Justiça, que taxistas de São Paulo e  Brasília tomem ações contra o aplicativo de transporte. 

No início do mês, o Diretório Central dos Estudantes do Centro Universitário de Brasília (Uniceub) apresentou uma queixa contra sindicatos e uma associação de taxistas nessas duas cidades ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), responsável por garantir a livre concorrência no mercado brasileiro.

Na representação, os estudantes pedem que os sindicatos sejam proibidos de incitar e praticar violência contra os motoristas do Uber,  de procurar a Justiça de modo que o DCE considera  "despropositado" e de fazer o que chama "pressão excessiva junto ao Poder Legislativo" para que os serviços do aplicativo sejam limitados ou impedidos.

Em nota divulgada nesta sexta-feira (17) em seu site oficial, o Uber diz que aderir à representação no Cade era  "o melhor caminho para garantir a segurança dos usuários (e motoristas parceiros), bem como a manutenção das nossas atividades e a proteção do direito do usuário de escolher a melhor forma de movimentar-se por sua cidade".

Leia também:

- Justiça de SP exintgue processo contr ao Uber e derruba suspensão do serviço

- Uber lança Uberbike em SP: carros com suporte para bicicleta

- Uber, serviço de carro compacto 35% mais barato que o Black, chega ao Brasil

A petição também pede que os sindicatos sejam condenados por infração à ordem econômica, o que pode gerar multa de 0,1% a 20% do faturamento bruto.

O Uber, entretanto, também responde a uma ação no Cade, aberta a partir de uma comunicação feita pelo Ministério Público Federal (MPF) a partir de uma denúncia pela associação de taxistas que é alvo da representação dos estudantes.


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.