Tamanho do texto

Números da IDC mostram que a China está mesmo em alta

Segundo trimestre de 2015 foi o segundo melhor já registrado pela IDC
Thinkstock/Getty Images
Segundo trimestre de 2015 foi o segundo melhor já registrado pela IDC

Graças ao crescimento das vendas de smartphones nos mercados emergentes, o segundo trimestre de 2015 deve fechar ainda melhor que o primeiro. Dados preliminares do relatório Worldwide Quarterly Mobile Phone Tracker da IDC  mostram que foram enviados às lojas um total de 337,2 milhões smartphones em todo o mundo no segundo trimestre de 2015 (2Q15), um aumento de 11,6 % em relação ao segundo trimestre de 2014, quando foram embarcadas 302.100.000 unidades.

LEIA MAIS:  IDC: brasileiros já compraram mais de 14 milhões de smartphones em 2015

Os números do segundo trimestre de 2015 também estão acima do primeiro trimestre deste ano, impulsionado, segundo a IDC, pelo aumento das vendas nos mercados emergentes. Esse bom resultado trouxe novidades para o ranking mundial: as chinesas Huawei e Xiaomi, parraram o combo Motorola+Lenovo e agora ocupam o terceiro e quarto lugar, respectivamente.

"O crescimento global do mercado de smartphones não foi só impulsionado pelo sucesso de dispositivos emblemáticos e premium da Samsung, Apple e outros, mas também pela importante abundância de aparelhos a preços acessíveis que continuam a conduzir embarques em muitos mercados importantes", disse Anthony Scarsella, gerente de pesquisa da IDC, em comunicado. Apesar de os aparelhos premium terem sido vendidos rapidamente em mercados desenvolvidos, foram os mercados emergentes apoiados por fornecedores locais que impulsionaram o segundo melhor trimestre de embarques  já registrado pela consultoria.

A Samsung manteve a liderança no mercado de smartphones em todo o mundo, mas foi a única empresa entre as cinco primeiras a registrar um declínio no volume embarcado na comparação ano-sobre-ano. A Apple teve um ótimo segundo trimestre, com 47,5 milhões de unidades vendidas.

A Huawei conquistou a terceira posição em razão das fortes vendas na Europa e na China, com um crescimento espantoso de 48,1% ano-sobre-ano. Já o sucesso da Xiaomi se deve ao seu país de origem a aos dispositivos premium e de entrada como o Mi Note e o Redmi 2, que ajudaram a Xiaomi a alcançar um aumento de 29,7% ano-sobre-ano.

Por fim, a também chinesa Lenovo, agora dona da Motorola, começa a sofrer com a concorrência de Huawei e Xiaomi na China, mas permanece firme nas Américas com a Motorola. Porém, os recentes lançamentos do Moto G e do Moto X de terceira geração devem refletir nos números do próximos trimestre, segundo a IDC.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.