Tamanho do texto

Aparelho voltado a produtividade chega em setembro no Brasil

Quando a Samsung anunciou, na IFA de 2011, um smartphone com tela de 5,3 polegadas, bem maior que o já considerado grande (na época) Galaxy S2, de 4,2 polegadas, muitos acharam que a sul-coreana estava "louca". O tempo, e a concorrência, mostraram que não. Os phablets, smartphones que de tão grandes quase parecem tablets, já não são só uma tendência. Fazem parte de uma categoria importante e na qual o Note merece destaque.

Desde que nasceu, o Note é um aparelho de configurações poderosas, que com a função de escrita na tela ganha ares de produto para negócios. Nesta sua quinta versão, porém, o Note 5 se torna, em definitivo, um smartphone para qualquer pessoa que deseje um aparelho completo e duradouro, mas sem aquela cara de trabalho. No Brasil, o Note 5 chega em setembro, ainda sem preço definido, mas certamente posicionado como um produto premium. 

Galaxy Note 5 está previsto para chegar ao Brasil em setembro, ainda sem preço definido
Emily Canto Nunes/iG São Paulo
Galaxy Note 5 está previsto para chegar ao Brasil em setembro, ainda sem preço definido

A grande mudança no Galaxy Note 5, afora a evolução do seu hardware, está no design, que o deixou mais parecido com a linha S, é verdade, mas que, ao mesmo tempo, deu ao Note o tom premium que ele sempre mereceu. O aparelho está mais fino, com 7,6 mm de espessura, e mais leve, em torno de 171 gramas. Até a versão 4, a traseira de plástico era um dos elementos que mais prejudicavam a linha no quesito estilo. Vale ressaltar, porém, que com a mudança do plástico para o vidro translúcido, o Note 5 perde duas funcionalidades que alguns usuários consideram importantes: o espaço para cartão microSD e a bateria removível.

A primeira questão a Samsung resolveu apresentando ao mercado apenas produtos com bastante espaço, 32 GB ou 64 GB de armazenamento. A segunda, pode parecer paliativa, mas não deixa de ser uma solução. A bateria do Note 5 é de 3.000 mAh, menor do que a do seu antecessor, o Note 4, que tinha 3.200 mAh, mas conta com tecnologia de carregamento rápido, com ou sem fio. De acordo com a Samsung, a bateria é totalmente carregada em apenas uma hora e meia quando na tomada e em 120 minutos com o carregador sem fio. É claro que para isso o usuário precisará estar com o carregador compatível sempre por perto. O carregador sem fio é vendido como a acessório.

Aos fãs do Note que acham que estão perdendo com essas mudanças eu digo que não. Finalmente o Note tem o acabamento que merece, que reflete o quão poderoso ele é por dentro. E mesmo com a S Pen, o Note perdeu aquela seriedade dos negócios para se tornar um objeto de design e desejo. Além disso, sua pegada está melhor. Ao contrário do S6 Edge+, que possui a tela curvada nas laterais, o Note 5 tem curvas nas bordas traseiras, deixando o encaixe do aparelho mais confortável nas mãos. Por enquanto, só as cores branco e preto estão confirmadas, mas no estande do lançamento do Note 5 em Nova York era possível ver versões em dourado e em um tom mais azulado.

S Pen, caneta que permite usuário escrever na tela, não possui lado certo para entrar no aparelho: os dois lados são iguais.
Emily Canto Nunes/iG São Paulo
S Pen, caneta que permite usuário escrever na tela, não possui lado certo para entrar no aparelho: os dois lados são iguais.

A S Pen e suas funções

A caneta que permite que o usuário escreva na tela, a S Pen, merece um capítulo a parte. Ainda que seja embutida e discreta, ela é importante, porque deve ser não apenas precisa, mas leve e confortável de usar. E fácil: diferentemente das versões anteriores,  a S Pen do Note 5 não possui um lado certo para entrar no aparelho, os dois lados são iguais. 

Nesse sentido vale dizer que a Samsung aprendeu também que atalhos são importantes, e que quanto menos trabalho o usuário passar para acessar um recurso, melhor. Além do duplo clique no botão home para iniciar a câmera, que vem desde o S6, o Note 5 possui uma função que poderia ser chamada de “aperte e comece“. Isto quer dizer que o usuário não precisa mais puxar com as unhas ou com os dedos a S Pen. Basta pressionar um pouco que a caneta sai do seu lugar. Além disso, com esse simples ato, o usuário já pode escrever na tela, mesmo com ela bloqueada. 

O menu flutuante que só aparece quando a caneta está ativa também foi remodelado, está mais bonito do que antes. Além disso, o menu flutuante permite agora que o usuário adicione três atalhos de aplicativos de sua preferência, outro avanço bastante interessante para quem já está acostumado a usar a S Pen do Note. 

Configurações melhoradas

Em termos de hardware, o Galaxy Note 5 é uma evolução do Note 4, ou seja, possui algumas, mas importantes melhorias. A tela de 5,7 polegadas é a mesma da versão anterior: Super Amoled QuadHD (2.560X1440 pixels). A câmera traseira é basicamente a mesma, de 16 megapixels, com abertura de f 1.9, mas agora com soluções mais avançadas como HDR em tempo real. Já a câmera frontal teve uma melhora considerável: de 3,7 para uma câmera de 5 megapixels com f 1.9 de abertura também com HDR em tempo real.

Por dentro do Note 5 tem um processador octa core de 64 bit composto de dois quad core, um de 1.5 GHz e outro de 2.1 GHz, com 4 GB de RAM e não mais de 3 GB. Com conectividade 4G, o aparelho tem também Bluetooth e NFC, além de sensores que já estavam presentes na versão anterior como o leitor de digital e frequência cardíaca, que deixam o Note 5 ainda mais completo.

*A jornalista viajou a convite da Samsung


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.