Tamanho do texto

Atualização número 45 do Chrome ajuda a economizar energia e memória RAM durante a navegação na internet

Já faz algum tempo que os usuários de Chrome reclamam do quanto de memória RAM, aquela ligada ao bom desempenho do processador, o navegador ocupa para rodar. Se você é uma dessas pessoas, seus problemas acabaram. Pelo menos é o que promete o Google em um recente post sobre as novidades da versão 45 do Chrome .

Como o próprio Google diz, um bom navegador deve carregar as páginas que o usuário abre com rapidez, ter uma rolagem suave, e consumir pouca memória e pouca energia do dispositivo no qual está rodando, independente da plataforma. E o Google vinha enfrentando dificuldades em entregar uma experiência tão completa como quando surgiu, desbancando não apenas o Internet Explorer, mas até mesmo o Firefox.

De acordo com o Google, a nova versão do Chrome traz uma "tonelada de melhorias", mas algumas merecem destaque.

Restaurar abas de forma eficiente

Há algum tempo o Chrome possui a opção "continuar de onde parou", que restaura as abas que estavam abertas quando você fechou o navegador. Com a atualização, o Chrome ficou mais esperto sobre como restaurar suas abas de uma forma mais eficiente. Agora, as abas serão restauradas da mais recente para menos recente, para que o usuário possa navegar pelas abas com as páginas que mais consome rapidamente. 

O Chrome também se tornou capaz de detectar se o computador está com pouca memória e, diante dessa informação, parar de restaurar o resto das guias. Ou seja, o navegador não vai mais restaurar todas as abas de cara se o seu equipamento estiver sofrendo com essa demanda. Quando você quiser acessar aquela página esquecida em uma das abas basta clicar nela que o Chrome termina o processo e entrega o site onde você parou. Essa é uma das formas criadas pela empresa para economizar memória, mas existem várias outras segundo o Google.

Otimizar e limpar memória

Outra técnica do Google para economizar memória RAM do equipamento é deixar que o Chrome perceba quando uma página não está sendo acessada pelo usuário e use esse "tempo livre" para limpar o que for velho. Na prática, o Google diz que consegue reduzir a memória utilizada por uma página em 10%, em média. Mas em sites que são velhos conhecidos do navegador e, sendo assim, mais fáceis de atulizar, como o Gmail, por exemplo, a economia de memória da aba em que o e-mail está sendo exibido pode chegar a 25%.

Reduzir consumo de energia

O Google também melhorou o uso de energia do Chrome. Desde junho, o Google implementou uma nova configuração de auto-pause, isto é, que para de rodar conteúdos em Flash que não são importantes para um site. Segundo explicou a empresa, testes mostraram que ao ativar esse recurso a bateria dos equipamentos passaram a durar até 15% mais, dependendo do seu sistema operacional. Diante desses testes, o Google resolveu tornar padrão a ativação dessa função para todos os usuários. Agora, quando você quiser ver um conteúdo em Flash que o Chrome detectou como não importante, terá que clicar nele para fazê-lo rodar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.