Tamanho do texto

Pai da Apple ainda é adorado e odiado por muitos

Steve Jobs morreu em 5 de outubro de 2011 em decorrência de um câncer
Getty Images
Steve Jobs morreu em 5 de outubro de 2011 em decorrência de um câncer

Quatro anos atrás o mundo perdia uma das maiores mentes da atualidade. No dia 5 de outubro de 2011, o pai da Apple, Steve Jobs, falecia em decorrência de complicações de um câncer no pâncreas.

Em 2005, pouco depois de ser diagnosticado com câncer, Jobs fez um discurso na Universidade de Stanford onde refletiu dizendo que a morte é "provavelmente a melhor invenção da vida", pois "elimina o velho para abrir caminho para o novo". Inovador, incompreendido, determinado, o norte-americano Steve Jobs ganhou status de gênio para muitos.

Entre admiração e aversão, é difícil alguém que não tenha uma opinião sobre o criador da Apple, que foi expulso da empresa e depois trazido de volta para revolucioná-la anos mais tarde. Gênio da informática e dos negócios, ele não se preocupava em roubar ideias ou projetos, como já foi bem documentado.

Sua vida pessoal não era menos conturbada. Tendo sido deixado por seus pais quando criança, ele voltaria a fazer o mesmo com sua filha Lisa, fruto do relacionamento com uma colega de faculdade.

A história da vida de Jobs parecia um filme e foi narrada no cinema em diversas ocasiões. A última versão, dirigida pelo ganhador do Oscar Danny Boyle, chega as cinemas norte-americanos nos próximos dias e conta com Michael Fassbender no papel principal. A obra foi baseada na mais famosa biografia "Steve Jobs", de Walter Isaacson.

IMAGENS: Relembre as criações da Apple de Steve Jobs:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.