Tamanho do texto

Marty McFly chegou ao futuro neste 21 de outubro de 2015. "Estrada? Para onde estamos indo não precisamos de estradas"

Pôster de 'De Volta Para o Futuro parte 2', filme de 1989, dirigido por Robert Zemeckis, com Michael J. Fox e Christopher Lloyd,
Reprodução
Pôster de 'De Volta Para o Futuro parte 2', filme de 1989, dirigido por Robert Zemeckis, com Michael J. Fox e Christopher Lloyd,

Vinte e um de outubro de 2015, mais conhecido – entre os fãs, é claro – como o dia em que Marty McFly chega ao futuro. Para aqueles que ainda não conhecem a trilogia 'De Volta Para o Futuro', vamos dar um breve contexto. Vivido pelo ator Michael J. Fox nos três filmes, McFly é um jovem que viaja no tempo, ao passado e ao futuro, graças a uma invenção de Emmett Brown, o estereótipo de cientista maluco interpretado por Christopher Lloyd.

LEIA MAIS:  'De Volta para o Futuro 2' via 2015: previsões certas e as que passaram longe

Em 'De Volta para o Futuro parte II' (1989), McFly visita o futuro a fim de impedir que seu filho dê início a uma onda de desastres familiares, mas o plano acaba dando mais errado do que certo, óbvio.

Em 'De Volta Para o Futuro parte II', McFly viaja 30 anos anos no futuro. E, como era de esperar, encontra sua cidade, Hill Valley, na Califórnia, completamente diferente de 1985 e, infelizmente, nada semelhante com o mundo que estamos vivendo hoje. Clássico entre os filmes de ficção científica, 'De Volta Para o Futuro' povoou o imaginário popular durante anos, especialmente com suas inovações que ainda não se tornaram realidade.

Relembre algumas tecnologias que em 21 de outubro de 2015 ainda não saíram do papel. Ou do cinema. Atenção, contém spoilers!

1) Carro voador com combustível caseiro

O filme começa de onde terminou o primeiro, com Marty reencontrando sua namorada Jennifer. O casal logo é interrompido pelo Dr. Brown, que avisa o jovem que ele teria de ir para o futuro, para 2015, pois Marty começaria a ter problemas com o filho naquela época. Vindo do futuro, o DeLoren conta agora com um mecanismo de vôo pois, em 2015, todos os carros voavam. Pois bem, temos aí primeira decepção. Por enquanto, nada dos carros voarem e nem previsão de quando isso irá acontecer. Tampouco o Mr. Fusion, reator de energia caseira à base de lixo, está disponível para quem desejar trocar o plutônio, a gasolina, o álcool ou o diesel por algo mais sustentável e mais barato. 

Mas nem tudo são más notícias: grandes empresas como Apple, Google e Tesla estão trabalhando em carros autônomos. É claro que voar parece muito mais legal, mas não precisar se estressar na frente do volante já é uma evolução, certo?

2) Publicidade holográfica

Experiências com hologramas estão se tornando cada vez mais comuns, mas ainda são bastante pontuais e estão longe de invadir as ruas. Em 'De Volta Para o Futuro parte II', McFly se espanta com um anúncio de filme em cartaz em que o espectador, antes mesmo de entrar no cinema, é engolido por uma versão holográfica de 'Tubarão 19'. No futuro de McFly, as publicidades não passam em grandes telas como na Time Square, mas em projeções holográficas que surgem em todos os cantos. Michael Jackson, morto em 2009, já teve seu holograma colocado no palco do Billboard Music Awards de 2014. Além dele, Tupac já ressuscitou no festival Coachella de 2012. Sempre bom lembrar que o Japão tem uma cantora holográfica de enorme sucesso, a Hatsune Miku.

Skate voador de 'De Volta Par ao Futuro parte 2' já virou protótipo, mas ainda não é um produto para o consumidor final
Reprodução
Skate voador de 'De Volta Par ao Futuro parte 2' já virou protótipo, mas ainda não é um produto para o consumidor final

3) Skate voador

Um dos maiores sonhos de quem é fã 'De Volta para o Futuro', o hoverboard, ou skate voador, nunca saiu do nível protótipo, para a tristeza de todos. Recentemente, a Lexus fez um projeto incrível do que seria um skate voador, e até o colocou em ação, mas tudo não passou de um experimento para mostrar as capacidades da marca. Como ninguém além da equipe da empresa viu o equipamento de perto, é até dificíl dizer se de fato ele funciona bem, mas, ainda assim, ficou todo mundo com água na boca. Lexus, por que não comercializar esse hoverboard, heim?

4) Tênis ajustável

Sabemos que para homenager os 30 anos de 'De Volta Para o Futuro' a Nike fez um Nike Mag que ajusta os cadarços automaticamente como aquele do filme – e que deve chegar neste ano –, mas a verdade é que os tênis de hoje não trazem tecnologias semelhantes. Nesses 30 anos, a indústria calçadista se preocupou mais, e com razão, com a ergonomia, em vez de cadarços automáticos. De qualquer forma, bem que a Nike e outras empresas poderiam começar a caminhar nessa direção. Existe coisa mais chata do que alguém avisando que seu cadarço está desamarrado?

5) Robôs atendentes

A robótica está rondando nossa vida cotidiana há bastante tempo, mas ainda não faz parte dela. Muito embora existem robôs aspiradores para a casa e hotéis mais arrojados fazendo experimentos com esse tipo de atendente, a realidade ainda não é como no futuro de McFly. Ao entrar no Café 80's para tentar mudar o curso da sua família, Marty se depara com robôs no formato de TVs que se movimentam e que encarnam grandes personalidades como Michael Jackson e Ronald Reagen.

No Texaco, nada de frentistas: todo o reparo dos carros voadores é feito por robôs como aqueles que vemos nas indústrias, mas não nos postos de gasolina. Sendo assim, nem precisa dizer que robótica deste nível ainda é coisa de filme de ficção científica com o Will Smith, né?

6) Roupa com secagem automática

No futuro do filho de McFly, Marty Jr, os jovens usam calças jeans com os bolsos para fora, tênis Nike com cadarço ajustável e jaquetas que, além de serem ajustáveis, possuem um sistema de secagem automática. Isso quer dizer que depois de cair um lago, como o McFly original, ou pegar uma chuva, você não teria de se preocupar em se secar no banheiro com ajuda do secador de mãos, de uma toalha ou, pior, de um papel. Bastaria apertar um botão e ventiladores internos secariam o casaco e você, mas nada disso existe ainda....

Indutor de sono seria uma solução interessante para quem tem problemas para dormir, mas não existe
Reprodução
Indutor de sono seria uma solução interessante para quem tem problemas para dormir, mas não existe

7) Indutor de sono com gerador de ritmo alfa

Muito antes do plano de Doctor Brown ir pelo cano, ele bem que tentou evitar que Jennifer, a namorada de Marty, conhecesse seu futuro não tão promissor. Para evitar que o encontro entre a Jennifer de 1985 e a Jennifer de 2015 criasse "um paradoxo temporal que causaria uma reação em cadeia que alteraria a estrutura do espaço-tempo e destruíra o universo", Doc faz uso de um indutor de sono gerador de ritmo alfa. Muito embora tenhamos visto algo semelhante em MIB – Homens de Preto, de 1997, não existe nada parecido atualmente. Para quem não sabe, alfa é a onda emitida pelo cérebro durante o sono e no estado mental de serenidade. Não seria má ideia contar com ajuda de um dispositivo portátil ao invés de um pílulas para dormir em aviões, por exemplo.

8) Papel a prova de poeira

Se tem algo que os roteiristas de 'De Volta Para o Futuro parte II', Robert Zemeckis e Bob Gale, passaram longe foram os leitores de livro digitais. Pelo jeito, nem passou pela cabeça deles que o livro e o jornal fossem ser digitalizados no futuro. Ao contrário, ao se deparar com o Almanque Esportivo causador de toda a confusão do filme, McFly descobre uma outra inovação: o papel resistente à poeira. É preciso concordar que em termos tecnológicos um e-reader de e-books é muito mais avançado, mas um papel resistente à poeira e, quem sabe, à traça, não seria uma má ideia. Até porque, como bem sabemos, o digital ainda nãp substitui por completo o analógico.

9) Drone passeador de cachorros e repórter

Os drones já fazem parte das nossas vidas, é verdade. Foram de objetos de lazer a instrumentos de trabalho, ajudam a monitorar plantações e fazer fotos de tirar o fôlego, mas ainda não são totalmente autônomos como os do filme. Em 'De Volta Para o Futuro parte II', temos um drone repórter do USA Today, que voa na frente de Griff, o neto de Biff, para fotografá-lo na saída do tribunal e, mais tarde, um drone passeador de cachorros. Essa, talvez, seja a próxima fronteira para os veículos aéreos não tripulados.

10) Mini scooter flutuante

Se o skate voador não se transformou em realidade, o mini scooter flutuante do pai de Marty, George, está ainda mais longe. Ainda assim, é interessante notar como produtos hoje existentes como o Segway e outros mini scooters possuem representação semelhante em um filme de 1989. Pensando na velhice e nas dores nas costas que se tornaram frequentes, um mini scooter flutuante seria mais do que indicado. 

Não faltam inovações para o cientistas e desenvolvores correrem atrás. Nem a previsão do tempo de hoje é tão eficiente quanto a de 'De Volta Para o Futuro parte 2', que diz para o usuário que horas vai parar de chover. Tampouco o sistema Judiciário, que no 2015 do filme não tem mais advogados e julga um caso em duas horas, ou a pizza desidratada que se tranforma em uma pizza de verdade com um pouco de água. 

Bônus: três tecnologias de 'De Volta para o Futuro' que estão aí:

21 de outubro de 2015, o dia em que Marty McFly chegou ao futuro no segundo filme da trilogia 'De Volta Para o Futuro'
Reprodução
21 de outubro de 2015, o dia em que Marty McFly chegou ao futuro no segundo filme da trilogia 'De Volta Para o Futuro'

Óculos com telefone

No 2015 de 'De Volta para o Futuro parte II' todo mundo tem um óculos que faz ligações e que projeta imagens individuais para cada usuário. Inclusive os filhos de McFly que são ambos interpretados por ele mesmo. A JVC, inclusive, é uma das marcas que teria investido na novidade. No mundo real, o Google criou algo similar com o Glass, mas enfrentou várias polêmicas de privacidade, enquanto a Microsoft trabalha num concorrente promissor, o HoloLens, que permitiria ao usário não apenas atender ligações, como faz o Glass, mas ver as pessoas do outro lado por meio de programas de vídeo-conferência como o Skype e projeções holográficas. 

Leitores de impressão digital

Sinônimo de filme de ficção científica ou futurista, a leitura de impressão digital está muito mais disseminada do que o próprio McFly esperaria. Hoje, não apenas abrimos portas com o dedo, mas batemos o ponto no trabalho, destravamos o smartphone, liberamos saques em caixas automáticos e pagamos contas com ajuda da digital, como faz Biff no filme de 1989.

TVs inteligentes

As nossas TVs também estão tão ou mais inteligentes que as apresentadas em 'De Volta Para o Futuro'. Elas são quase tão finas quanto o vidro de uma janela, fazem ligação com ajuda de aplicativos como Skype que utilizam as câmeras embutidas e funcionam a partir de comando de voz, como no filme. Logo, nem tudo está perdido para os fãs. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.