Tamanho do texto

"Rua da Morte", "Lago da Depressão", "Ilha do Desespero". Um artista australiano está juntando nomes de lugares "tristes" no Instagram e pretende lançar livro contando a origem deles

Perfil do Instagram Sad Topographies reúne imagens de lugares com nomes tristes do mundo todo
Reprodução
Perfil do Instagram Sad Topographies reúne imagens de lugares com nomes tristes do mundo todo

A conta na rede social teve início quando Damien Rudd, de 31 anos, chegou por acaso a uma montanha na Austrália chamada "Mount Hopeless" ("monte da desesperança").

Intrigado, fez uma pesquisa para saber a origem do nome. Descobriu que o local foi batizado assim em 1840 pelo explorador Edward Eyre, durante uma expedição pelo interior da Austrália. Quando chegou ao monte, Eyre topou com um lago intransponível e teve de desistir de seguir em frente. Daí o nome, que representa o fracasso da empreitada.

A partir daí, Rudd começou uma coleção de locais com nomes tristes. "Há algo inerentemente melancólico no ato de colecionar - seja selos, discos e sem dúvida nomes de lugares tristes", disse ele à BBC Brasil, citando o filósofo francês Jean Baudrillard para dizer que "nunca se inicia uma coleção para completá-la, porque a aquisição do último item denotaria a morte do sujeito".

Rudd começou a busca digitando palavras associadas a tristeza no Google Maps para ver o que aparecia. Depois, passou a receber sugestões de pessoas do mundo inteiro.

A conta do Instagram, chamada "Sad Topographies" (Topografias tristes), não posta fotos dos lugares em si, mas da página do Google Maps. Já são 32 mil seguidores.

"Acho interessante como mapas e paisagens também podem ser lidos como uma história. Topônimos (nomes de lugares) costumam funcionar como títulos de livros ou marcadores de eventos históricos."

Está previsto para o ano que vem o lançamento de um livro com os nomes dos locais e as histórias e mitos por trás deles.

Ele não arrisca eleger o local mais triste. "Esses lugares, como a própria tristeza, aparecem de todas as formas e cores. Pessoalmente, sou atraído por aqueles que têm uma narrativa implícita, ou têm uma característica poética em seu nome, como 'Rua da Tristeza', 'Rua do Solitário'", conta.

E por que tantos nomes com lugares tristes? O artista acredita que isso esteja relacionado à impressão que eles causaram quando foram descobertos - muitas vezes, em expedições pioneiras.

"Os primeiros exploradores passaram por esforços imensuráveis, e também cabia a eles dar nome a esse lugares. A vida de um explorador era muito difícil, cheia de sofrimento e tristeza, e frequentemente a única testemunha disso era o próprio local."

A página só publica nomes em inglês, mas o artista diz ter certeza de que países com passado colonial como o Brasil também têm muitos nomes desse tipo. "Espero que alguém se inspire e comece a colecionar nomes aí", disse ele em entrevista à BBC Brasil.

Ouvindo a sugestão, a BBC Brasil deu início à coleção: entre outros, encontrou o município de Solidão, em Pernambuco, o bairro da Tristeza, em Porto Alegre, e a Rua da Morte, em Ananindeua, no Pará.

Bairro da Tristeza, em Porto Alegre
BBC
Bairro da Tristeza, em Porto Alegre
Município de Solidão, em Pernambuco
BBC
Município de Solidão, em Pernambuco


Rua da Morte, em Ananindeua, no Pará
BBC
Rua da Morte, em Ananindeua, no Pará


    Leia tudo sobre: Instagram
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.