Tamanho do texto

Ferramenta de download de mapas é capaz de calcular trajetos de carro e até dar detalhes sobre estabelecimentos do mapa

Função para baixar mapas no celular foi feita para usuários que não têm bons planos de dados
Divulgação
Função para baixar mapas no celular foi feita para usuários que não têm bons planos de dados

O Google lançou uma atualização do Maps, seu aplicativo de geolocalização para Android, que tornou a ferramenta ainda mais acessível. Isso porque, a partir da versão 9.17 do programa, será possível fazer o download de mapas no aparelho e depois calcular rotas de carro neles sem a necessidade de internet.

A nova função foi elaborada para atender os usuários que, mesmo tendo um smartphone, não contam com bons planos de dados para seus aparelhos. “Nos últimos dois anos, o número de smartphones no Brasil aumentou mais de dez vezes. A penetração de smartphones na população brasileira está passando dos 50% — ou seja, a cada duas pessoas, uma tem um smartphone. E nós começamos a ver um crescimento acelerado nas classes sociais de menor poder aquisitivo”, conta Marcus Leal, gerente de Google Maps na América Latina.

Para utilizar o Maps offline tudo que o usuário precisa fazer primeiro é, ainda conectado à internet, buscar na barra de pesquisa do programa o local que tem interesse em salvar no seu aparelho. Pode ser um bairro ou uma cidade inteira, por exemplo.

Após o programa identificar o nome digitado, tudo que o usuário precisa fazer é acessar o cartão de conteúdo do local, arrastando com o dedo para cima a barra branca com o nome do local, que fica na parte inferior da tela. Entre as opções do cartão estará o botão “Download”. Quando escolhido, o recurso direciona o usuário a uma tela de corte, na qual, dentro de um quadrado em destaque, o usuário deverá posicionar a área do Google Maps que deseja salvar no seu smartphone.

É possível salvar áreas inteiras na nova versão do Google Maps
Divulgação
É possível salvar áreas inteiras na nova versão do Google Maps

É possível redimensionar e alterar a posição do mapa dentro desse quadrado, e quanto maior for a área que ele abrange, mais espaço de armazenamento o mapa irá ocupar no aparelho do usuário. O limite sugerido é de até 400 MB, mas é possível fazer o download de áreas equivalentes a 2,5 GB. Mas, para que não ocupem tanta memória, os mapas devem ficar menores do que isso. Em uma demonstração feita por Marcus, a cidade de São Paulo inteira, com cidades como São Bernando e Santana de Parnaíba ocupava cerca de 250 MB.

Os mapas baixados no celular têm duração de 30 dias, pois, após esse prazo, o Google considera que alterações nas vias podem ter acontecido e que aquele mapa não representa mais uma boa referência. Se o usuário não se conectar à internet nesses 30 dias, o mapa será desativado automaticamente, mas caso ele se conecte, deve receber avisos de atualização do mapa. E para gerenciar os mapas que salva no aparelho, basta que o usuário acesse a nova seção chamada de “Áreas off-line”, onde ele poderá deletar e atualizar seus mapas manualmente.

Como esta é ainda a primeira versão do produto, ainda existem algumas limitações. Nos mapas salvos, quando não há conexão com a internet, há apenas como calcular rotas para carros, e não para transporte público nem bicicleta. A função de navegação por voz, por outro lado, funciona normalmente e há até como verificar dados de estabelecimentos que estejam no mapa baixado, como o horário de abertura e as informações de contato.

Nas próximas versões devem ser adicionadas ferramentas para calcular rotas com outras opções de transporte, como também um melhor uso dos mapas baixados para diminuir o consumo de dados no uso do Google Maps.

Embora seja direcionada a um público que tem pouco acesso a dados, a novidade deve beneficiar todos os outros usuário do programa. Isso porque, agora também fica mais fácil contar com serviços de localização em viagens, mesmo se o usuário estiver fora do seu país, por exemplo.

Além disso, os mapas baixados também permitem que o aparelho tenha uma melhor performance na hora de calcular as rotas do usuário quando ele estiver conectado à internet. Isso porque, caso o 3G não estiver funcionando direito, o programa deixa de utilizar o mapa do servidor do Google e passa a considerar as informações salvas no aparelho do usuário para calcular as rotas.

Em função do lançamento global da nova versão do Google Maps, a atualização do programa será feita de forma gradual, portanto, nem todos os usuário terão acesso ao novo recurso agora — mas isso deve ser expandido para todas as pessoas em pouco dias.

Por outro lado, os usuários de iPhones terão que esperar um pouco pela nova versão do programa para iOS , que está em desenvolvimento e deve ser disponibilizada em breve.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.