Tamanho do texto

Fabricante lança portáteis com dobro de capacidade de armazenamento contra onda de dispositivos móveis

As décadas de mercado, a proximidade com os consumidores e a força de seus clientes. Foi essa trinca que pautou o lançamento da mais nova linha de computadores pessoais portáteis da HP, definida pelos executivos da empresa norte-americana como a "total reinvenção dos Zbooks", em evento realizado nesta quarta-feira, em Nova York.

A nova leva de portáteis tem previsão para chegar às lojas no mercado global em janeiro de 2016. Já o lançamento dos mesmos produtos no Brasil deverá ocorrer com um ou dois meses de atraso, culpa de questões burocráticas de importação .

A linha é o primeiro lançamento oficial da empresa desde que ela se dividiu em duas - HP Inc, focada em computadores e impressoras, e HP Enterprise, em servidores, equipamentos de rede e armazenamento - em um momento em que o mercado de computadores vive uma profunda crise devido à concorrência com outros dispositivos, como tablets e smartphones.

Nova linha é composta por quatro laptops, com preços ainda a serem anunciados
David Shalom/iG São Paulo
Nova linha é composta por quatro laptops, com preços ainda a serem anunciados

A nova linha é composta por quatro laptops, com preços ainda a serem anunciados - e fabricação já confirmada no Brasil: Zbook 17, Zbook 15, Zbook 15U e Zbook Studio. "Dizem que o mercado de PCs está em crise, mas ainda é um mercado de US$ 340 bilhões. Assim, para nós, é um momento fantástico para estar na indústria", disse o vice-presidente da HP Inc., Jeff Wood, na abertura do evento. "Inovamos de olho, basicamente, no que nossos clientes precisam, seja no escritório, em Hollywood ou no espaço. Temos, hoje, a mais incrivel linha de estações de trabalho do mundo e, por que não, baseados em nossos clientes, do universo."

Para chamar a atenção para seus novos produtos, a HP investiu em um evento todo inspirado na franquia Star Wars, com cenários futuristas que lembravam naves espaciais, para reforçar ao público sua já antiga parceria com a Lucas Film. Além disso, levou clientes de peso, como a Nasa, para enfatizar sua dedicação em atender e apresentar soluções para quaisquer necessidades que eles possuem."Precisamos das mais poderosas máquinas e que elas sejam totalmente confiáveis porque, caso haja falhas, pessoas podem morrer", afirmou Stephen Hunter, gerente de software da agência espacial dos EUA.

É ele o responsável por fazer as exigências à HP para os computadores da Estação Espacial Internacional, base com o tamanho de um campo de futebol localizada a entre 330 km e 435 km da Terra, onde mais de uma centena de laptops são usados - o modelo Zbook 15 deve chegar a ela em março."Temos muitos cientistas e todo o tipo de especialistas em Física e espaço que sabem apenas apertar o botão de liga ou desliga dos computadores. Então, essas máquinas precisam durar, ser práticas, resistentes. Precisamos dos mais poderosos computadores pois necessitamos ser eficientes. E o Zbook mostrou isso para mim como eu nunca havia visto antes."

"Reinvenção"

Tendo como pilar o slogan "performance, inovação e confiança", a nova linha promete uma grande evolução em todos os pontos de seus produtos. A começar pela portabilidade: os novos Zbooks são até 37% mais finos e 50% mais leves do que os da geração anterior - mesma redução aplicada nos carregadores/adaptadores.

Além disso, a capacidade de armazenamento da nova linha  chega a ter o dobro da anterior, com 64Gb, mesma proporção de evolução dos gráficos.
A tecnologia de visualização HP Dreamcolor, responsável por deixar as cores mais reais e vibrantes na tela que levou engenheiros da empresa a serem premiados com um Oscar pela Academia de Ciências Cinematográficas dos EUA, também foi melhorada, deixando de sacrificar tanto a bateria, como ocorria na geração anterior.

Também foram anunciadas grandes melhoras na redução de ruídos, por meio do novo resfriador da empresa - o Zcooler, que torna a máquina 40% mais silenciosa - e pela instalação de saídas de som maiores, com maior potência e mais límpidas.
"A última coisa que uma pessoa precisa é de uma estação de trabalho barulhenta ao seu lado. Mas é preciso balancear performance, temperatura e barulho", enfatizou Paul Mazurkiewicz, engenheiro da HP.

"Se você tem um problema com algum sistema da HP, literalmente vai acabar falando com os próprios desenvolvedores desses produtos, como eu. É um grande diferencial. E, pela nossa vasta experiência, pelas décadas de mercado, sabemos exatamente onde o problema está e como resolvê-lo", resumiu ele.

*A reportagem do iG viajou para Nova York a convite da HP.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.