Tamanho do texto

Condenado por ter disponibilizado na internet cópias de programas e produtos de várias empresas, jovem escapou de multa fazendo filme que deveria ter ao menos '200 mil cliques'

BBC

O filme de Jakub precisava ser visto 200 mil vezes para que o acordo com as empresas fosse válido
Filmlicincompany
O filme de Jakub precisava ser visto 200 mil vezes para que o acordo com as empresas fosse válido

Um homem condenado por pirataria de software recebeu uma sentença diferente: ele escaparia de pagar polpudas indenizações se produzisse um filme denunciando a pirataria que fosse visto pelo menos 200 mil vezes no YouTube.

O homem, conhecido apenas como Jakub F, atingiu a marca em alguns dias e agora o vídeo já foi visto mais de 915 mil vezes. 

Jakub, de 30 anos, foi condenado pela Justiça da República Tcheca, mas conseguiu um acordo com o grupo de empresas que tiveram seus softwares pirateados por ele. As empresas concordaram em não processá-lo.

Ele foi condenado por ter colocado cópias do Microsoft Windows 7 e 8, além de outros conteúdos, em sites de compartilhamento de arquivos.

As companhias, entre elas Microsoft, HBO Europa, Sony Music e 20th Century Fox, estimaram que as indenizações chegariam a milhares de dólares. A Microsoft avaliou que suas perdas com as ações de Jakub chegariam a 5,7 milhões de coroas da República Tcheca (cerca de R$ 837 mil).

A Business Software Alliance (BSA), instituição que representou a Microsoft no processo, reconheceu que Jakub não poderia pagar esta indenização.

E, em vez dos pagamentos, as empresas disseram que ficariam satisfeitas se recebessem apenas um pequeno pagamento e a cooperação de Jakub na produção do vídeo.

Jakub interpreta ele mesmo no filme baseado em sua experiência
Filmlicincompany
Jakub interpreta ele mesmo no filme baseado em sua experiência

Mas as companhias estipularam que o vídeo produzido teria que ser visto pelo menos 200 mil vezes nos dois primeiros meses depois de sua publicação, que ocorreu nesta semana.

Um porta-voz da BSA disse à BBC que esta determinação foi imposta para garantir que Jakub ajudaria o máximo possível no compartilhamento do vídeo.

Caso o vídeo não tivesse conseguido alcançar esta meta, o porta-voz disse que, "em teoria", as empresas teriam base para entrar com um processo civil pedindo as indenizações.

O vídeo se chama The Story of My Piracy ("A História da Minha Pirataria", em tradução livre) e mostra Jakub, que interpreta a si mesmo, alertando outros piratas de que, por menor que seja o crime, também podem ser pegos.

A BSA aceitou a alegação de que Jakub não pirateou os programas e conteúdos para obter ganhos financeiros.

O vídeo é uma descrição fiel de como Jakub no começo gostou de piratear os softwares, mas depois foi rastreado e recebeu uma visita da polícia.

    Leia tudo sobre: YouTube
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.