Tamanho do texto

Usuários do Facebook receberam mensagem com um pedido de desculpas pelo inconveniente do WhatsApp e sugerindo que, por enquanto, as pessoas usem o Facebook Messenger

CEO do Facebook, Mark Zuckerberg
AP Photo/Manu Fernandez
CEO do Facebook, Mark Zuckerberg

Assim como alguns usuários brasileiros, que acordaram com a notícia de que sim, o WhatsApp estava fora do ar em razão de uma suspensão determinada pela Justiça de São Paulo, Mark Zuckerberg também teve que lidar com essa notícia. No seu Facebook, o CEO da rede social que também é dona do WhatsApp, disse que esse 17 de dezembro era um dia triste para o País e que o Facebook estava trabalhando para restaurar o serviço. Segundo ele, mais de 100 milhões de pessoas ficaram sem acesso ao WhatsApp.

"Hoje à noite, um juiz brasileiro bloqueou o WhatsApp para mais de 100 milhões de usuários do aplicativo no país.

Estamos trabalhando duro para reverter essa situação. Até lá, o Messenger do Facebook continua ativo e pode ser usado para troca de mensagens.

Este é um dia triste para o país. Até hoje o Brasil tem sido um importante aliado na criação de uma internet aberta. Os brasileiros estão sempre entre os mais apaixonados em compartilhar suas vozes online.

Estou chocado que nossos esforços em proteger dados pessoais poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz.

Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão. Se você é brasileiro, por favor faça sua voz ser ouvida e ajude seu governo a refletir a vontade do povo.

‪#‎ConectaBrasil‬ ‪#‎ConecteoMundo‬".

No Facebook, usuários receberam um pedido de desculpas e um convite para o usar o Facebook Messenger: "Estamos trabalhando para restaurar o WhatsApp. Enquanto isso, use o Messenger. Desculpas pela inconveniência". Ainda na madrugada o CEO e Fundador do WhatsApp Jan Koum também lamentou o ocorrido e chamou a decisão de míope.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.