Tamanho do texto

CEO da Tesla Motors promete revolucionar o setor de energia com baterias para residências, o de transporte com cápsulas e, mais recentemente, o de pesquisa em inteligência artificial

Elon Musk é CEO da Tesla Motors e um dos grandes nomes da tecnologia em 2015
Reprodução/Facebook/Tesla Motors
Elon Musk é CEO da Tesla Motors e um dos grandes nomes da tecnologia em 2015

Você pode nunca ter ouvido falar dele, mas Elon Musk é responsável por alguns dos maiores projetos em tecnologia da atualidade. CEO da Tesla Motors, fabricante norte-americana de veículos elétricos, Musk promete também revolucionar o setor de energia solar com baterias para residências como presidente da SolarCity. O empresário pretende tornar o transporte espacial mais barato e possibilitar a ocupação humana em Marte por meio da SpaceX. Além disso, desenvolve projetos de transporte em cápsulas e aposta em pesquisas em inteligência artificial. E isso tudo para falar apenas dos dias atuais, pois seu passado também é cheio de inovação.

Nascido na África do Sul, Musk é filho do engenheiro sul-africano Errol e da modelo canadense Regina. Mudou-se para o Canadá aos 18 anos de idade. Em 1992, foi aceito na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, onde se formou em física e administração. Anos mais tarde, em 1995, mudou-se para a Califórnia para cursar o PhD em física aplicada na Universidade de Stanford. No segundo dia de aula, contam, decidiu abandonar o curso e seguir a vida de empreendedor.

Duas décadas depois da importante decisão, continua na Califórnia, mas esta foi uma das poucas coisas que não mudaram, visto que o executivo mora em Los Angeles. Aos 44 anos, Musk se casou e se separou três vezes, duas delas com Talulah Riley e uma com Justine Musk, com quem teve cinco filhos.

A trajetória do sul-africano é parecida com a de outro empresário da área tecnológica. Por motivos diferentes, Steve Jobs também abandonou a faculdade para se tornar o fundador de uma das principais empresas do ramo, a Apple. Por isso, muitos consideram Musk um sucessor de Jobs. Apesar de atuarem em segmentos de mercado bem diferentes, a comparação é válida. Assim como o criador da Apple, Musk também tem um grande poder de convencimento muitas vezes visto durante suas apresentações e se veste sempre de maneira informal.

O estilo único de Elon Musk e seus megaprojetos serviram de inspiração até para Hollywood. De acordo com uma reportagem da Época Negócios , o ator Robert Downey Jr. revelou que utilizou o empresário como base para o personagem Tony Stark, no filme Homem de Ferro. Musk fez também uma rápida aparição em Homem de Ferro 2. Na cena, o empresário encontra Stark em um restaurante e conta ao colega sobre um projeto de um avião elétrico. Não por acaso o próprio Musk já foi comparado ao super-herói de o Homem de Ferro.

Na vida real, os projetos de Musk como empreendedor quase sempre tiveram sucesso. Um dos mais conhecidos é o serviço de pagamentos online PayPal, fundado em 1999 com o nome de X.com. A empresa cresceu tão rapidamente que, em menos de dois anos, foi comprada pelo eBay por US$ 1,5 bilhão. Antes disso, em 1995, desenvolveu com o irmão Kimbal o Zip2, um guia da cidade que depois seria vendido a grandes jornais dos Estados Unidos, como o The New York Times. A empresa, criada com US$ 28 mil do pai de Elon, foi vendida para a Compaq, em 1999, por US$ 307 milhões.

Assim como outros empresários da área de tecnologia, Musk encontrou formas alternativas de receber o salário. Na Tesla Motors, por exemplo, ele tem um salário oficial de apenas um dólar. Os verdadeiros ganhos são obtidos a partir das metas alcançadas. Para se ter uma ideia, Musk tem fortuna avaliada em US$ 11,3 bilhões.

Hoje, além da Tesla, da SolarCity e da SpaceX, Musk encabeça um outro projeto tão surreal quanto as histórias de super-herói: o Hiperloop. A ideia é criar um sistema de transporte por cápsulas à vácuo capaz de alcançar o dobro da velocidade de um trem-bala. Segundo o site International Business Times , os testes iniciais indicaram que o trajeto entre Los Angeles e São Francisco poderia ser feito 30 minutos com uma velocidade média de 965 km/h, alcançando 1220 km/h em alguns pontos. A construção desta rota custaria algo em torno de US$ 16 bilhões.

Além disso, mais recentemente, o empresário anunciou a criação da OpenAI, uma organização sem fins lucrativos dedicada a abrir códigos de pesquisas na área da inteligência artificial. De acordo com a associação, o principal objetivo é beneficiar a humanidade como um todo, sem a preocupação de obter retorno financeiro.

Musk durante evento para apresentar sua nova bateria em Los Angeles
BBC
Musk durante evento para apresentar sua nova bateria em Los Angeles

Energia renovável

Entre os planos da Tesla Motors está a fábrica de baterias Gigafactory 1, localizada no estado de Nevada, nos Estados Unidos. Segundo o Tech Insider , o objetivo é que o projeto, em fase de construção, esteja em plena operação até 2017. O empreendimento tem um custo estimado de US$ 5 bilhões e está sendo realizado em conjunto com a Panasonic. A Tesla Motors espera que a Gigafactory 1 reduza o valor das baterias de seus carros e das baterias Powerwall, destinadas ao armazenamento de energia em residências e estabelecimentos comerciais.

Atualmente, as baterias Powerwall mais baratas são vendidas no mercado norte-americano por US$ 3 mil. Os clientes vêm considerando as baterias da Tesla vantajosas pois um proprietário de painéis solares pode armazenar energia durante o dia para utilizá-la no período da noite. Elas também são úteis para quem utiliza energia elétrica. É possível fazer o armazenamento durante a noite quando as taxas são menores para utilizar no restante do dia.

Ao contrário da maioria dos concorrentes, as baterias de íon de lítio de Musk, similares às dos celulares e computadores, são fáceis de usar. Além disso, a Tesla deu atenção especial para o design. Elas parecem com qualquer outro móvel da casa e estão disponíveis em diversas cores. Por este motivo, caíram no gosto dos americanos.

O que importa é que as baterias da Tesla viabilizaram a utilização de energia renovável. Com as mudanças feitas pela empresa de Musk, os produtos passaram a ser vistos não apenas como itens importantes para o armazenamento de energia, mas também como objeto de desejo entre consumidores. Impossível não lembrar de Steve Jobs.

O sul-africano Elon Musk
Reprodução
O sul-africano Elon Musk

Carros que andam sozinhos

Em outubro, Musk anunciou uma atualização para os carros da Tesla Motors. Além das mudanças no visual dos aplicativos do computador de bordo dos veículos, a empresa anunciou a possibilidade de o motorista utilizar o modo de piloto automático. Durante a viagem, o painel exibe a visão que o carro tem da rua a partir dos seus sensores e as informações que o piloto automático está recebendo no momento como detector de colisões, mudança automática de faixa e assistente de velocidade.

A mudança também valeu para os modelos que já haviam sido vendidos pela empresa nos Estados Unidos no último ano. De acordo com a Wired , o piloto automático funciona apenas em avenidas e estradas, onde o trânsito é fluido e não exige mudanças bruscas.

O carro não exige que o motorista fique com a mão no volante durante todo o trajeto, mas em alguns momentos o veículo exibe uma mensagem pedindo que o condutor toque no volante para se certificar que este segue atento e evitar possíveis acidentes. O sistema também entende quando o condutor segura o volante e desativa o modo de piloto automático. O piloto automático da Tesla está disponível em dois carros da empresa: Model S, vendido a US$ 71 mil, e Model X, por US$ 132 mil no mercado norte-americano, segundo o site Car and Driver .

Musk já foi chamado de Homem de Ferro
Divulgação
Musk já foi chamado de Homem de Ferro

A SpaceX e os planos para Marte

Com a venda do PayPal, Musk resolveu utilizar parte do valor da venda para migrar de segmento e criar a SpaceX. A mudança não foi nada sutil. O empresário da área de pagamentos pela internet passava a ser responsável por uma fábrica de foguetes, ou quase isso. Desde julho de 2002, quando foi fundada, a SpaceX tenta reduzir os custos do transporte espacial. Para isso, a companhia vem criando projetos de foguetes projetados para serem reutilizados em futuros lançamentos.

Nesta terça-feira (22), a empresa conseguiu realizar seu primeiro pouso bem-sucedido com o Falcon 9. De acordo com a BBC, depois que o foguete foi lançado, a parte superior da nave se soltou e entrou em órbita com onze satélites. Algo parecido havia sido feito há um mês com um foguete de menores proporções. O feito foi realizado pela Blue Origin, empresa do fundador da Amazon.com, Jeff Bezos. O voo do foguete da SpaceX vem sendo considerado um marco na reutilização de foguetes.

Em 2006, a empresa venceu uma concorrência na Nasa e se tornou a primeira empresa privada responsável por reabastecer a Estação Espacial Internacional. Experiências como essa servem de base para os projetos de Musk para o futuro.

Mesmo com poucos anos de existência, a SpaceX tem planos audaciosos. O principal deles é a exploração e a ocupação humana em Marte nos próximos anos. De acordo com o The Verge , o empresário acredita ser possível manter uma população de um milhão de pessoas vivendo no Planeta Vermelho até o próximo século.

A maioria dos planos podem parecer absurdos, mas os resultados já alcançados com o PayPal, a Tesla e mesmo a SpaceX não permitem que duvidemos de Musk.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.