Tamanho do texto

Kim Dotcom será julgado por pirataria informática

Encerrada há três anos, empresa de Kim Dotcom teria arrecadado US$ 175 milhões
Reuters
Encerrada há três anos, empresa de Kim Dotcom teria arrecadado US$ 175 milhões

Um tribunal da Nova Zelândia aprovou nesta quarta-feira (23) a extradição para os Estados Unidos do fundador do já extinto portal Megaupload, Kim Dotcom, e de mais três de seus ex-sócios.

Após quatro anos de disputas legais envolvendo Kim Dotcom e outros fundadores do Megaupload, o juiz Nevin Dawson decretou que há provas contundentes para autorizar a extradição dos réus.

Dotcom e seus ex-sócios Mathias Ortmann, Finn Batato e Bram van der Kolk são acusados pela justiça norte-americana de 13 delitos vinculados com pirataria informática, crime organizado e lavagem de dinheiro.

As autoridades acreditam que o portal de downloads, que já chegou a ter 50 milhões de usuários, arrecadou ao menos US$ 175 milhões com supostos materiais ilegais.

Até o momento, dos sete membros acusados no EUA, apenas o programador Andrus Nomm foi condenado, recebendo uma pena de pouco mais de um ano de prisão, que já foi cumprida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.