Tamanho do texto

Ao entrar em contato com o cartão de crédito e com o Xbox, pai foi informado que nenhuma medida poderia ser tomada

O jogo utilizado pelo jovem é gratuito, mas disponibiliza melhorias que podem ser compradas
Divulgação
O jogo utilizado pelo jovem é gratuito, mas disponibiliza melhorias que podem ser compradas

Dias depois de seu filho realizar uma compra no videogame, o canadense Lance Perkins recebeu um cobrança de, aproximadamente, C$ 8 mil (em torno de R$ 21.500) no cartão de crédito. O garoto de 17 anos utilizou o cartão de crédito que Perkins havia lhe dado para emergências.

A compra foi feita dentro de uma edição do game FIFA para Xbox. Em entrevista para o site canadense CBC News, Perkins disse que o filho acreditou que a cobrança seria feita apenas uma vez e que ele não seria cobrado sempre que abrisse o jogo.

Ao entrar em contato com a operadora do cartão de crédito, Perkins foi informado que, a não ser que quisesse transferir a cobrança para o filho, não havia nada a ser feito. Perkins entrou em contato com o Xbox via e-mail. Minutos depois, a empresa avisou que a cobrança permaneceria.

Responsável pela Xbox, a Microsoft informou que compras feitas com a conta dos pais são permitidas e que disponibiliza ferramentas para os pais previnirem compras indesejadas. O tema é alvo de reclamações de pais por todo o mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, o tema foi alvo da FTC (Federal Trade Comission), órgão semelhante ao Procon, quando consumidores enviaram reclamações sobre a falta de clareza no momento de adquirir recursos adicionais em games.

Perkins disse ter encontrado uma maneira para não ser surpreendido novamente por uma cobrança como essa: nunca mais ter um Xbox ou qualquer outro videogame em casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.