Tamanho do texto

Usuários ainda se preocupam com a segurança de pagamentos móveis, mas acreditam que a situação será diferente no futuro

NFC que permite smartphone se comunique com um terminal de pagamento próximo
Emily Canto Nunes/iG São Paulo
NFC que permite smartphone se comunique com um terminal de pagamento próximo

Se depender dos usuários, o dinheiro vivo será coisa do passado nos próximos anos. De acordo com um levantamento do IEEE (Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos), 70% dos entrevistados acreditam que, até 2030, os meios de pagamentos móveis serão seguros a ponto de se tornarem mais utilizados que cédulas e cartões de crédito.

A pesquisa também apontou que, atualmente, 46% dos usuários acreditam que a maior preocupação do pagamento móvel é a possibilidade das informações serem "hackeadas". Ainda de acordo com o levantamento, 33% dos entrevistados se preocupam com a possibilidade de pagamentos serem processados sem a sua autorização e 13% têm medo de pagamentos por acidente.

Empresas de tecnologia como Apple, Samsung e Google dão os primeiros passos para a popularização dos meios pagamento móveis e oferecem ferramentas que usam o smartphone como um cartão de crédito. O usuário aproxima o aparelho em um terminal de pagamento, insere uma senha e o pagamento é realizado. Esse procedimento é feito com a ajuda do NFC (Near Field Communication), que permite a conexão aproximando dois aparelhos.

Para Jerome Pays, diretor de e-commerce da Lyra Network, empresa especializada em pagamentos eletrônicos, "a migração do papel para o eletrônico é reversível", pois além de ser uma opção rápida e segura para os usuários, contribui para governos migrarem parte da economia informal para a formalidade.

Apesar de ser uma alternativa interessante, o pagamento móvel ainda está disponível em poucos estabelecimentos no Brasil. Pays acredita que o recurso ainda não foi disseminado pois muitos aparelhos não são compatíveis com o NFC. "São poucos smartphones que tem essa tecnologia embarcada. É uma tecnologia pouco democratizada ainda". Plataformas como Apple Pay, Samsung Pay e Android Pay ainda não estão disponíveis no Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.