Tamanho do texto

Maior rede de entrega de pizzas do mundo também tem testado um robô que dirige sozinho e realiza entregas nas casas dos clientes australianos da marca

Brasil Econômico

Drone entregador de pizza foi testado pela Domino's na Nova Zelândia
Reprodução/ Flirtey
Drone entregador de pizza foi testado pela Domino's na Nova Zelândia

A startup Flirtey e a Domino's Pizza Enterprises (responsável pelo gerenciamento das unidades da Domino's na Austrália, Nova Zelândia, Bélgica, França, Holanda, Alemanha e no Japão) lançaram nesta quarta-feira (24) o primeiro modelo comercial do drone que será responsável pelas entregas da maior rede de entrega de pizzas do mundo.

+ Quadrilha que usava drone para roubar condomínios é presa em SP

Uma unidade da Domino's na Nova Zelândia deverá começar a usar o modelo para realizar suas entregas dentro dos próximos meses. Os planos da empresa são audaciosos: usar a tecnologia em mais 2 mil unidades da Domino's Pizza Enterprises no futuro.

"Atuar como associado da Flirtey para revolucionar o modo como o serviço de entrega é realizado é uma conquista que colocará nossa companhia em posição de destaque entre nossos clientes e mudará a forma como se faz entrega em todo o mundo", escreveu o CEO e diretor administrativo da Domino's Enterprises Don Meij em um comunicado.

O drone usado nas entregas é feito de fibra de carbono e alumínio e contém várias funções, entre elas a habilidade de voltar automaticamente à Domino's caso perca o sinal do GPS.

Essa não é a primeira vez que a Domino's Pizza Enterprises usa recursos altamente tecnológicos para otimizar seu serviço de entrega. Neste ano, a companhia estreiou a Domino's Robotic Unit  (DRU),  um robô que dirige sozinho e é usado no serviço de entrega. 

DRU usa a mesma tecnologia explorada por carros que são conduzidos sem ajuda humana, e tem compartimentos para guardar alimentos quentes e gelados. Esses compartimentos são trancados por medidas de segurança e só podem ser abertos depois de os clientes inserirem uma senha. O protótipo, que está sendo testado em uma área restrita do estado de Queensland, deve chegar às lojas ainda este ano, mas pode levar até dois anos para chegar às ruas.

A Domino's trabalha com o Departamento de Transportes australiano para atender aos requisitos de segurança. O equipamento não deve substituir os entregadores humanos, mas integrar a equipe de entrega da empresa. 

A Domino's testa há meses na Austrália um robô entregador de pizzas
Reprodução/ Business Insider
A Domino's testa há meses na Austrália um robô entregador de pizzas

Embora os serviços de entrega por drone não sejam a prioridade número um da maioria das redes de pizzaria, a tecnologia está se tornando cada vez mais importante dentro dessa indústria. Os canais digitais já são responsáveis por cerca da metade das vendas da Domino's, Pizza Hut e Papa John's nos Estados Unidos - fazendo da tecnologia algo essencial para os negócios do setor em 2016.

A Domino's

Fundada nos Estados Unidos em 1960, a Domino's é considerada a maior rede de pizzaria delivery do mundo. Hoje, existem mais de 9.500 unidades da marca em 70 países. No Brasil, a marca é administrada desde 2004 pelo Grupo Trigo, responsável pela operação das redes Spoleto e Koni Store. Atualmente, existem mais de 300 lojas espalhadas por todo o país.

A história da empresa começou quando Tom e James Monaghan compraram a Dominick's pizza por US$ 900 no campus de sua universidade, no estado americano do Michigan. Cinco anos depois, com novo nome e novo logo - sugeridos por um entregador - saiu do forno a primeira Domino's. 

Em 1966, Tom Monaghan visitou mais de 300 pizarias espalhadas por todo o país em busca das melhores práticas. A primeira franquia foi inaugurada em 1º de abril de 1967 por Charles Gray.

Já a primeira loja fos dos Estados Unidos foi aberta em 1983 em Winnipeg, no Canadá. A primeira loja no Brasil foi inaugurada dez anos mais tarde no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Em 2002, as pizzas da Domino's chegam ao Belo Horizonte, Porto alegre e Distrito Federal. Em 2011, a empresa bate o recorde de pizzas vendidas em eventos durante o Rock in Rio.

+ Polícia holandesa treina águias para capturar drones em pleno voo

Outras experiências com drones pelo mundo

Em junho deste ano, a rede de supermercados Walmart informou que utilizaria drones nos próximos meses para verificar seus estoques nos Estados Unidos, dando mais um passo em direção ao uso da tecnologia para competir com os rivais. Em outubro de 2015, a empresa havia pedido permissão aos reguladores norte-americanos para testar drones em entregas de produtos a clientes e na verificação de estoques em galpões.

Em Cingapura, uma empresa criou 'drones garçons' para superar a falta de mão de obra. As aeronaves conseguem carregar até dois quilos de comida e bebida - cerca de dois copos grandes de cerveja, uma pizza e suas taças de vinho - e fazem rotas determinadas por um programa de computador, navegando pelo restaurante por meio de sensores infravermelhos espalhados pela casa.

Em 2015, o conglomerado chinês de comércio eletrônico Alibaba resolveu seguir o exemplo da Amazon e começar a testar a entrega de produtos com o uso de drones. Os robôs voadores usados pelo Alibaba carregam encomendas de até 1 quilo e voam a uma distância máxima de 10 quilômetros do ponto de partida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.