Tamanho do texto

Novo smartphone da LG concorre diretamente com celulares da linha Galaxy Note

Quando a Samsung lançou o primeiro Galaxy Note, no fim de 2011, alguns analistas duvidaram que um aparelho com tela tão grande (5,3 polegadas) fosse fazer sucesso. Mas o aparelho vendeu bem e impulsionou a categoria dos phablets, aparelhos com telas gigantes que ficam no meio do caminho entre smartphone e tablets.

Leia análises do Galaxy S4, Xperia XQ e outros smartphones

A LG entrou nesse mercado com o Optimus Vu , lançado no fim de 2012, e renova sua linha de phablets com o Optimus G Pro (R$ 2.099), com tela de 5,5 polegadas. Com bons recursos de produtividade, processamento poderoso e excelente tela, é uma boa alternativa para quem quer um smartphone não só para consumir conteúdo, mas também para realizar atividades como edição de texto. Seu principal concorrente atualmente é o Note II , da linha Samsung Galaxy , e, em breve o Galaxy Note III .

A favor:

- Ótima tela,
- Excelente desempenho em jogos e aplicativos "pesados",
- Botão físico extra para acionar rapidamente aplicativos muito acessados.

Contra:

- Suporte apenas básico para canetas digitais,
- Botão Home estreito demais.

Design

De modo geral, dá para dizer que o Optimus G Pro tem um design sóbrio e elegante. As laterais e a traseira do aparelho são de plástico, o que pode desagradar a alguns usuários mais exigentes. Mas os detalhes do brilho da traseira, padrão similar ao do Nexus 4, dão ao aparelho um toque diferenciado.

Como acontece com todo aparelho com tela de 5 polegadas ou superior, lidar com o Optimus G Pro usando uma só mão é tarefa quase imposssível (a não ser que você seja um jogador da NBA). Isso pode afastar usuários que preferem aparelhos com telas grandes, mas desejam também a praticidade de usar apenas uma mão para controlar o aparelho. Mas quem quer produtividade e mais espaço para ver e editar conteúdo (o público-alvo do G Pro) não vai ligar para o tamanho grandalhão do aparelho.

Botão Home do G Pro é um pouco estreito
André Cardozo/iG
Botão Home do G Pro é um pouco estreito

Na parte da frente, logo abaixo da tela, o G Pro tem três botões. Dois deles (Voltar e Menu de aplicativos) são de toque, e o botão Home é físico, e um pouco estreito demais. Nos testes do iG , por vezes foi um pouco difícil pressionar o botão Home logo na primeira tentativa.  

Nas laterais o aparelho traz os obrigatórios botões de liga/desliga e volume. Mas também há um botão extra muito útil, localizado no canto superior esquerdo.

Na configuração padrão ele é usado para ativar o QuickMemo (mais sobre esse programa na seção Aplicativos), mas pode ser configurado para ativar qualquer outro aplicativo e funcionar também como disparador da câmera. 

Configuração

Não há do que reclamar do G Pro no quesito configuração. O aparelho tem processador Snapdragon de 1,7 GHz e quatro núcleos e 2 GB de RAM, mais do que suficiente para rodar vários aplicativos sem engasgos. Nos testes do iG , o aparelho rodou muito bem jogos pesados, como Iron Man 3, Heroes Call e Eternity Warriors II. O G Pro também reproduziu vídeos com qualidade Full HD sem engasgos.

O desempenho do G Pro em benchmarks também foi adequado para um aparelho topo de linha. O G Pro se saiu muito bem nos benchmarks AnTuTu (19.723 pontos), Quadrant Standard (12.267) e Vellamo (2.508 pontos no modo HTML 5 e 734 no modo Metal). De modo geral, são valores um pouco superiores aos do Galaxy S III , que foi lançado no ano passado e ainda é um dos smartphones mais poderosos do mercado.

O G Pro tem ainda as típicas conexões sem fio e até suporta algumas tecnologias mais raras, como DLNA e Miracast. O único senão fica por conta dos 10 GB de espaço interno. É um bom valor para o usuário médio, mas pode ser pouco principalmente para quem gosta de games "pesados". É também um valor inferior ao da maioria dos aparelhos nessa faixa de preço e menor até mesmo do que o armazenamento do Optimus G (que tem 32 GB de memória).

Tela

A tela é, sem dúvida, o ponto alto do aparelho. Não só é grande, com 5,5 polegadas, mas também oferece imagens com excelente brilho e nitidez, graças à resolução Full HD de 1.080p. Como a tela tem a proporção widescreen exata (16:9), todo vídeo feito para esse padrão ocupa todo o espaço dela, sem barrinhas pretas usadas em aparelhos com proporções diferentes.

Outra boa característica da tela é o ângulo de visão. O Optimus G Pro conta com tela com tecnologia IPS, o que garante as imagens nítidas mesmo com o aparelho inclinado. Nos testes do iG , foi possível ver com nitidez imagens na tela mesmo com o aparelho quase na horizontal em relação aos olhos.

Câmera

Com sensor de 13 megapixels, a câmera do G Pro tira fotos com qualidade muito boa, mas inferiores a fotos de smartphones como o Xperia ZQ ou o Lumia 920 . A câmera, porém, não é o principal atrativo desse tipo de aparelho, mais focado em produtividade. Para as necessidades do cotidiano (fotos de slides de apresentações e documentos, registros de cenas sob luz do dia) a câmera dá e sobra.

Veja 5 aplicativos para melhorar fotos no Android

Câmera do G Pro tem 13 megapixels
André Cardozo/iG
Câmera do G Pro tem 13 megapixels

Entre os ajustes da câmera temos burst mode (tira várias fotos em sequência e escolhe a melhor), HDR, foto panorâmica, Time Catch (começa a tirar fotos antes mesmo que o usuário dispare a câmera) e modo dual screen (usa a câmera frontal para capturar imagem do fotógrafo e insere a imagem no enquadramento da câmera traseira).

Outro recurso interessante da câmera é o que permite dispará-la por meio de comandos de voz.

Infelizmente ela só responde a comandos em inglês (o famoso "Cheese"). Então não dá para disparar fotos usando expressões do português, como "Sorria".

Sistema

O G Pro roda a versão 4.1 do Android . De modo geral, ela tem um visual mais leve e sofisticado do que a versão "pura" do Android. Na tela principal de aplicativos, por exemplo, quando o usuário arrasta a tela para ver uma segunda tela com mais aplicativos, há uma transição tridimensional, em vez da rolagem de tela simples do Android.

Na área de configurações a LG também adota um visual mais leve, com fundo claro e texto na cor preta, esquema inverso ao do Android puro. Como em qualquer celular com Android é possível mudar radicalmente o visual padrão, por meio de aplicativos. 

O G Pro tem ainda um esquema de botões um pouco diferente do usado em outros aparelhos Android. Dois dos botões principais (Voltar e Home) são comuns em outros celulares. Já o terceiro botão da parte inferior do smartphone ativa o menu de opções do aplicativo aberto no momento, em vez de mostrar todos os aplicativos abertos, como acontece em outros aparelhos.  

Aplicativos 

Além dos aplicativos comuns do Android, o Optimus G Pro traz alguns aplicativos interessantes no quesito produtividade. O principal deles é o QuickMemo. Ele cria anotações a partir de qualquer imagem que esteja na tela.

QuickMemo permite fazer anotações sobre imagem da tela
Reprodução
QuickMemo permite fazer anotações sobre imagem da tela

Para ativar o QuickMemo, basta apertar o botão físico dedicado a ele (esse botão pode ser programado para acionar outros aplicativos). O aparelho então "congela" a tela e permite que o usuário faça anotações com caneta digital ou com os dedos sobre a imagem.

Depois disso, a imagem com as anotações pode ser guardada no aplicativo de agenda do aparelho ou na galeria de fotos.

O G Pro, porém, não traz nenhum suporte avançado para canetas digitais, como ocorre com os modelos Note da linha Samsung e a caneta digital S Pen. É possível usar canetas digitais genéricas (o G Pro não vem com caneta) para fazer desenhos e anotações simples, mas para por aí.

Ainda no quesito produtividade, o G Pro vem com aplicativos de dicionário e com o Polaris Office (suíte de programas de escritório que inclui processador de texto, planilhas e apresentações). 

Outro destaque do aparelho na área de aplicativos fica por conta dos QSlide apps. São cinco aplicativos (navegador de internet, tocador de vídeos, bloco de notas, agenda e calculadora) que podem ser redimensionados e funcionam "por cima" de outros apps.

Dessa forma o usuário consegue rodar mais de um aplicativo ao mesmo tempo na tela do aparelho. Com esse recurso é possível, por exemplo, continuar a ver um vídeo enquanto se responde a mensagens. Ou ativar a calculadora para fazer uma conta urgente sem sair do navegador. Os QSlide apps também ficam semitransparentes ao serem redimensionados. Assim, dá para ver o conteúdo que está sob os aplicativos.

Completando os aplicativos de destaque do G Pro, temos o Safety Care (envia mensagens para amigos e familiares em caso de emergência) e o Remote Call Service (permite que um técnico da LG corrija problemas do aparelho remotamente). 

Bateria

Nos testes do iG , o Optimus G Pro teve duração de bateria comum em aparelhos desse tipo, cerca de 8 horas com uso intenso e um dia de trabalho em uso moderado. 

Veja aplicativos para poupar bateria de celulares Android

Conclusão

O Optimus G Pro é uma boa aposta da LG no segmento de smartphones para quem quer produtividade. O aparelho tem tela de excelente qualidade, já vem com um bom pacote de aplicativos de produtividade e tem conjunto de processamento poderoso. Peca apenas por não ter um suporte mais robusto para canetas digitais, um dos pontos fortes da linha Note da Samsung.

Ele é tecnicamente superior a seu principal rival no mercado, o Galaxy Note II, mas também é mais caro. Quem realmente quer um aparelho focado em produtividade deve esperar mais um pouco até a chegada do Galaxy Note III ao Brasil (em outubro) para comparar o melhor phablet da LG com o melhor de sua principal concorrente, a Samsung.

Ficha técnica

LG Optimus G Pro

Preço: R$ 2.099
Configuração: Tela de 5,5 polegadas com resolução de 1.920 x 1.080 e tecnologia IPS, sistema Android 4.1 Jelly Bean, processador Snapdragon de 1,7 GHz e quatro núcleos, 2 GB de RAM, 10 GB de armazenamento interno (+ entrada para cartão microSD e espaço de XX em nuvem), Wi-Fi, 3G/4G, Bluetooth 4.0, sensor infravermelho, GPS.
Dimensões (cm): 15 x 7,5 x 0,9
Peso (g):  172

CONTINUE LENDO:

Novo Optimus Vu tem tela de 5,2 polegadas

Android ganha aplicativo que permite editar arquivos do Word e Excel

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.