Tamanho do texto

Smartphone da Sony também traz bateria com boa duração

Com a linha 2013 de seus aparelhos Xperia, a Sony aumentou a variedade de celulares à venda no Brasil. Algumas características da marca, como o capricho no design e e qualidade de áudio, agora estão em aparelhos de diversas faixas de preço. 

Veja mais análises de smartphones

O Xperia L (R$ 700) é o modelo mais simples da nova linha que veio ao Brasil (composta também pelo Xperia ZQ e pelo Xperia SP ), e pode ser considerado um aparelho intermediário. Ele chega para competir com modelos como iPhone 4 , Razr D3 , S3 Mini , L7 II, Lumia 720 e outros em faixa de preço similar. Confira o teste.

A favor:

• Bonito design;
• Câmera de boa qualidade;
• Ótima duração de bateria.

Contra:

• Menos de 6GB de espaço para o usuário;
• Excesso de aplicativos na memória;
• Tem problemas para reproduzir vídeos em Full HD.

Design

Seguindo a linha dos Xperias mais poderosos, ZQ e SP, o L traz um design muito bonito, marca registrada da Sony. O L segue uma linha mais inovadora, possui a traseira côncava e arestas agudas, mantendo também a presença do LED de aviso mais chamativo do que outras marcas deixam em seus aparelhos.

Xperia L tem traseira com acabamento emborrachado
Stella Dauer
Xperia L tem traseira com acabamento emborrachado

Todo em preto (ou também na cor branca), ele possui alguns detalhes prateados ao redor da câmera, na saída de som traseira, no botão de energia e em um friso que rodeia todo o aparelho.

Enquanto a frente é toda de vidro, a parte de trás é de plástico, e conta com acabamento emborrachado para não escorregar da mão.

Nessa traseira ficam a câmera, rodeada por uma moldura saliente, microfone, flash, a marca Xperia, furo para pendente e a saída de som.

Na parte de cima, apenas a conexão de áudio, assim como no lado esquerdo só há a conexão micro USB. A frente traz a tela, câmera, saída de som e o microfone. Ele é relativamente leve, pesando 137 gramas.

Do lado direito encontramos os botões de volume, de fotos e o de energia, que salta na lateral e fica bem no centro, para ser facilmente encontrado. 

Tela

As telas da linha Xperia trazem seus prós e contras. Com o tamanho de 4,3 polegadas, ela tem definição minimamente maior do que o padrão, com 480 x 854 pixels e densidade de 228 ppi. Ela é capacitiva, multitoque (para até quatro dedos) e TFT comum, sem tecnologias como IPS. O vidro é antirriscos, mas não é Gorilla Glass.

Com 16 milhões de cores, é um display que agrada aos olhos. É muito difícil enxergar os pixels, e ela tem um ótimo brilho, cores equilibradas e boa acuidade. Ela se sai bem em ângulos abertos, e o toque conta com ótima resposta. Sob o sol, porém, a visibilidade é prejudicada.

Hardware e processamento

O conjunto de processamento é equilibrado. O processador não é tão forte, mas tem o apoio de 1GB de RAM. Temos aqui 1GHz dual core Krait Qualcomm MSM8230 Snapdragon, com GPU Adreno 305. Não é nada mau para seu valor, e o desempenho nos testes foi bom. É claro que poderia ser algo um pouquinho melhor, com um processador de 1.2GHz ou 1.5GHz, por exemplo, mas o chip não se saiu mal nos testes.

Em nossos testes de benchmark, ele pontuou 10.704 no AnTuTu, valor similar à primeira geração do tablet Nexus 7, da Asus. No Vellamo, que mede desempenho para a internet, ele fez 1.476 pontos, nota similar às do Xperia S e do Galaxy S3, nada mau. No multiplataforma Geekbench 2, foram 762 pontos, similar ao Galaxy Nexus.

Para jogos, ele se saiu bem, como esperado (pensando na GPU Adreno 305). No benchmark para jogos Epic Citadel, ele chegou aos 43 fps, um número de alta performance. Também testei com os jogos Batman: The Dark Knight Risese Dead Trigger. São jogos pesados e que exigem do processamento. E o Xperia L aguentou muito bem, com pequenos tropeços no começo, mas com desempenho ótimo ao longo do jogo.

No quesito conexões, ele tem tudo o que se espera de um smart de sua categoria, e mais um pouco. Além de Wi-Fi 802.11 a/b/g/n dual band, Wi-Fi hotspot, GPS com A-GPS, Bluetooth 4.0 e 3G, ele também vem com WiFi Direct, NFC e DLNA. Nos sensores, ele traz acelerômetro, bússola, proximidade, magnetômetro e luz.

Sistema operacional e usabilidade

O XPeria L já vem com o Android Jelly Bean 4.1.2, que não é o mais atual, mas está na 4.x como muitos outros. A Sony já prometeu update para todos os aparelhos da linha Xperia 2013, restando apenas saber quando chegará a atualização. A 4.1.2, quando modificada pelo fabricante, quase não tem diferenças para a mais nova, 4.3.

Xperia L roda Android com interface Experience Flow
Stella Dauer
Xperia L roda Android com interface Experience Flow

A modificação da Sony é chamada de Experience Flow, e deixa o Android com uma cara mais séria. Os ícones e letras são menores, o visual em si é mais sóbrio, com ícones cheios de detalhes, realistas. No geral, os fundos são escuros e ligeiramente texturizados, o que ajuda na leitura das letras pequenas.

As contas dos serviços mais famosos (como Facebook, Evernote, Google e Twitter) ficam nas configurações, como pede o padrão do Android. A barra de notificações possui atalhos para conexões e ações, mas é mais discreta do que a barra dos aparelhos da Samsung, por exemplo.

O LED mais chamativo também está presente no Xperia L, mas um pouco menor que no SP e no ZQ. Ficando junto à faixa prateada que cerca o aparelho, a luz aparece apenas em uma parte da área inferior da tela. Ainda assim, não deixa de ser bonita e útil. Dependendo das cores, é possível saber qual o estado da bateria, notificações que quais redes sociais foram recebidas, entre outros. Ela fica da cor das fotos que são apresentadas na galeria.

Veja aplicativos para melhorar fotos no Android

Nos ajustes é possível configurar algumas funções especiais da linha Xperia, como o MirrorLink, que permite que o aparelho seja controlado por alguns dispositivos via Bluetooth ou USB, como rádios automotivos, e também o Sony Throw, que permite reproduzir conteúdo do aparelho direto em outros dispositivos, como receivers, smartphones, TVs e outros.

A Sony aproveita bastante o NFC do aparelho, que além de trocar informações, permite interação com diversos dispositivos da marca. Algumas TVs possuem receptores de NFC em seus controles, bastando encostar o smartphone nele para que o conteúdo seja compartilhado. Isso também acontece com caixas de som, centrais de backup e outros.

Na tela de bloqueio, basta deslizar o dedo de cima para baixo (ou vice-versa) para desbloquear a tela. Mas também há dois botões, um de música e um de foto, que quando arrastados para as laterais abrem o Walkman ou a Câmera. Se você estiver tocando música, a tela de bloqueio exibe um pequeno e útil player.

O teclado é bom pois, além de as teclas serem grandes e bem espaçadas, há a tecnologia para escrever por meio do deslize dos dedos (modo Swype). O reconhecimento de palavras e a correção automática funcionam bem. Seu formato côncavo é muito bom para ser segurado nas mãos, seja em uma só ou com as duas ao mesmo tempo, para escrever. Tanto na horizontal como na vertical, o Xperia L se adequa muito bem à pegada, sendo muito ergonômico.

Aplicativos

Já conhecida por colocar um monte de coisa em seus notebooks, a Sony repete a experiência no Xperia L, que traz nada menos que 48 aplicativos já na memória. Isso incomoda, pois nem todos são úteis para o usuário, e comem espaço de armazenamento que poderia ser muito importante para outros apps, mais relevantes para quem compra.

Além dos aplicativos básicos do sistema, a Sony ainda coloca alguns apps de terceiros: NeoReader (leitor de QR Code), Facebook, OfficeSuite, File Commander, WhatsApp, LinkedIn, Twitter e Jogos Gameloft (lojinha de jogos da marca). Da própria Sony, aparecem Walkman, Álbum, Filmes, Sony Select (sugestão de apps), Backup e recuperação, Music Unlimited, Update center e Blog Sony Xperia.

Alguns são bem úteis, como o OfficeSuite e o Backup e recuperação, mas nem todo mundo usa LinkedIn e NeoReader, por exemplo. No conjunto também temos apps mais específicos da Sony, como TrackID (identifica músicas), Smart Connect (permite a programação de ações com alguns gatilhos, como conectar o fone de ouvido) e o Xperia Link (thetering).

Câmera

Com sensor de 8 megapixels, a câmera do Xperia L se saiu muito bem, com ótima qualidade de imagem. Perde ligeiramente nas arestas, mas tirou fotos com ótimas cores e teve bom resultado em baixa luz, com pouca granulação. O zoom digital é sempre ruim, mas até que não ficou tão ruim com essa câmera.

Câmera do Xperia L tem 8 MP
Stella Dauer
Câmera do Xperia L tem 8 MP

Algumas das razões para essa boa qualidade estão na presença do sensor Exmor RS mobile da Sony, e também por ele contar com a tecnologia BSI no sensor, que realiza uma troca de elementos na estrutura da câmera, fazendo com que ela capte melhor os feixes de luz.

Dessa forma, acabam sendo boas para fotos noturnas, pois absorvem mais informação do ambiente. O macro, no geral, tem bons detalhes, só mostrando a face dos 8 megapixels quando aumentada.

Na câmera, ele não conta com o modo Superior Auto que encontramos do Xperia SP para cima, mas possui HDR e estabilização de imagem e vídeo. Os outros modos são o Normal, Varrer panorama, Cenas (são 10 diferentes) e os que filmam. Há também o modo Efeito Foto, que traz nove efeitos muito interessantes, como o Cor parcial e o Harris Shutter.

É possível ajustar valor de exposição, resolução, modo de foco (automático único, por toque ou com reconhecimento de rostos), equilíbrio de branco, ISO, medição e outros. Ajustando o Início Rápido você pode escolher o comportamento do botão para fotos que, mesmo com a tela bloqueada, já pode iniciar uma foto, vídeo ou apenas a interface.

O design pontiagudo das laterais incomoda um pouco na hora de clicar com esse botão, e você acaba optando pela foto na tela, mesmo. Sua câmera frontal é apenas VGA, mas foi suficiente para conversar por vídeo. Falando em vídeo, a câmera traseira grava em HD simples, com estabilização, e produziu vídeos razoáveis e com boa captura de som.

Música e mídia

O som externo é muito bom, e tem volume bem alto. No máximo é possível escutar distorções de som, mas basta abaixar um pouco para que o áudio fique bem claro e equilibrado. Como em todo aparelho pequeno, os agudos se sobressaem um pouco, mas nada que incomode. Ele conta com os ajustes xLOUD e Clear Phase, para melhorar a qualidade.

Com os fones convencionais que acompanham a caixa, a qualidade continua. Não são muito altos, mas têm ótimo estéreo e graves e agudos equilibrados, não precisando ser substituídos. Essa boa qualidade é graças ao ClearAudio+, ajuste que realmente faz a diferença nas músicas. O LED não pisca de acordo com o ritmo da música, mas fica ligado com a cor do fundo do álbum.

Conheça quatro tocadores de vídeo para Android

Ele reproduziu vídeos em Full HD com muito custo e alguns engasgos, mas não teve qualquer problema com aqueles em HD ou qualidade padrão. O display widescreen e as cores oferecidas fazem desse smart um ótimo reprodutor de mídias. O som para vídeos é interessante, e é suficiente, mas com os fones de ouvido fica bem melhor. Ele também tem rádio FM com RDS.

Bateria e armazenamento

A duração da bateria de 1750 mAh não é incrível como a do Xperia SP, mas é satisfatória. Em um dia de uso normal, com Wi-Fi ou 3G ligados sem pausa, com push mail e notificações de redes sociais ativadas, ligações, jogos e navegação na internet, tivemos 18 horas. Esse é um número bom para você passar o dia fora de casa com ele, e só recarregar na hora de dormir.

Com o modo Stamina, que modifica alguns comportamentos do aparelho, o resultado foi ótimo. Foram quase dois dias de uso normal. Realmente, o modo Stamina foi uma revolução para a Sony. Entre os recursos dessa função temos um em que a conexão Wi-Fi só se mantenha ligada quando há uma rede conhecida ao alcance. Outro mantém a rede de dados desligada enquanto a tela está apagada.

No armazenamento, temos o esperado. Há um espaço original de 8GB, mas com os apps que a Sony entrega junto com o aparelho, entre outras coisas, sobram apenas 5.8GB para o usuário. Esse é o mesmo número do Xperia SP, mas como o L é mais barato, é um tamanho de acordo com seu valor.

Isso significa que você não poderá se esbaldar em downloads de apps e jogos pesados, mas que poderá ter todos os apps mais úteis que desejar. Para armazenar as fotos da câmera, músicas e filmes, você pode usar um cartão microSD de até 32GB para aumentar a memória. Como os aparelhos da Sony são indicados para mídia, esse é o perfil ideal.

O que vem na caixa

A caixa do Xperia L é diferente do que estamos acostumados a ver. Parece uma caixa de perfume, sendo alta e com a tampa em cima. Dentro dela temos o aparelho, sua bateria, carregador de viagem, cabo USB, fones de ouvido convencionais com microfone e botão, declaração de conformidade e manual rápido. Básico e suficiente.

Para quem é

Quem não tem verba suficiente para um smartphone mais poderoso ou de uma categoria maior, vai se interessar pelo Xperia L. Não é porque está abaixo de mil reais, que você precisa se contentar com menos.

Foi difícil encontrar contras para esse aparelho, que tem qualidade no design, na câmera e supera praticamente todos os seus concorrentes em vários sentidos. Se considerarmos o S III mini, o L7 II e o D3, ele ganha com certa folga mas, se comparado com o RAZR i, ele pode perder em alguns quesitos.

Ficha técnica

Sony Xperia L C2104

Preço: R$ 697
Configuração: tela de 4,3 polegadas com resolução de 480 x 854 pixels, sistema Android 4.1.2 Jelly Bean, processador 1 GHz dual core Krait Qualcomm Snapdragon, 1GB de RAM, 3G, 8 GB de armazenamento interno (5,4 GB disponíveis) + entrada para cartão microSD, câmera de 8 megapixels com flash LED, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n dual band, Wi-Fi hotspot, Wi-Fi Direct, GPS com A-GPS, Bluetooth 4.0, NFC, DLNA.
Dimensões: 12.9 x 6.5 x 0.97 cm
Peso: 137g
Autonomia de bateria: Até 48 horas em stand-by / Até 18 horas em conversação e internet
Itens inclusos: aparelho, bateria, manuais, carregador com fio, fones de ouvido, SIM e cabo USB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.