Tamanho do texto

Opção intermediária da Sony, Xperia M4 Aqua é um aparelho de configurações poderosas e desempenho abaixo da média

O posicionamento premium da Sony não é novidade para quem acompanha o mercado de smartphones no Brasil. Durante algum tempo, Xperia foi sinônimo de topo de linha. Porém, nos últimos tempos, a exemplo do que fez a Samsung com a marca Galaxy, o conceito Xperia ampliou seus domínios e, hoje, podemos ver seu nome em diferentes aparelhos da empresa de origem japonesa, alguns não tão avançados quanto parecem.

Xperia M4 Aqua: apesar de algumas especificações interessantes, aparelho peca no desempenho
Emily Canto Nunes/iG -
Xperia M4 Aqua: apesar de algumas especificações interessantes, aparelho peca no desempenho

O M4 Aqua chegou a pouco mais de dois meses no mercado para disputar espaço na categoria mais concorrida da atualidade: a de intermediários. E embora traga algumas características que distinguem os aparelhos da linha Xperia do restante, como o bom gerenciamento de bateria, além de especificações interessantes como os 2 GB de RAM, o M4 Aqua teve um desempenho aquém do esperado em nossos testes.

A favor

- design premium
- dual chip e 4G
- a prova d' água

Contra

- sem acesso a bateria
- desempenho abaixo da média
- Android muito modificado

Design

De modo geral, o design é sempre um ponto que conta a favor dos aparelhos da Sony da linha Xperia. Há algum tempo os produtos mantêm as mesmas bases, com pequenos aprimoramentos de uma geração para a outra. Logo, a aparência do M4 Aqua lembra muito a de outros celulares da companhia. Porém, ao invés de usar materiais nobres como o vidro, o aparelho tem uma traseira feita de um plástico rígido que imita tão bem que quase se confude com o material original.

Outro acerto importante são os cantos arredondados, que transmitem mais segurança do que os cantos pontudos de aparelhos anteriores da Sony, especialmente em caso de queda. Cantos pontudos são um prato cheio para telas ou traseiras de vidro rachadas no primeiro deslize do usuário. As laterais também de plástico e levemente curvadas ajudam na pegada do smartphone, que fica bem mais firme na mão.

Ainda em termos de design, a Sony acertou ao encontrar uma solução para a entrada microUSB que antes tinha uma tampa e agora é livre. Tampa só nas entradas de chips, na lateral direita, e do microSD, na lateral esquerda, que são bem pouco usadas. A porta do carregador/cabo de dados fechada pode parecer um detalhe, mas era algo que incomodava muito no dia-a-dia.

A localização das entradas e dos botões também é um pouco diferente no M4 Aqua, mas nada que comprometa seu desempenho. O conector microUSB, por exemplo, está na parte esquerda superior, na lateral, próximo da entrada para o cartão microSD. Na lateral direita, encontramos o pequeno botão de liga e desliga, bem ao centro, a entrada dos dois chips, e o botão de volume, um pouco abaixo do normal, é verdade. O Xperia M4 Aqua tem também um interessante botão dedicado para a câmera, que ajuda na hora de tirar foto com a câmera traseira, algo pouco encontrado na concorrência.

Configurações

16 GB de armazenamento interno e tem espaço para microSD de até 128 GB
Emily Canto Nunes/iG -
16 GB de armazenamento interno e tem espaço para microSD de até 128 GB

Se, por um lado, o Xperia M4 Aqua está garantido no design, por outro, decepcionou no desempenho das suas boas configurações. Estrela do evento de lançamento realizado em junho, o M4 Aqua teria especificações que justificam seu valor de R$ 1.499: a bateria de 2.400 mAh, a resistência à água (IP65/8), e o processador de oito núcleos de 64 bits da Qualcomm, o Snapdragon 615 (quad-core de 1,5 GHz + quad-core de 1,0 GHz), combinados com 2 GB de RAM. Acontece que no dia-a-dia do aparelho, que testei por mais de duas semanas, o multiprocessamento foi não só abaixo do esperado, como preocupante. Não foram poucas as vezes que o aparelho travou por minutos.

Nos testes de benchmarking feitos pelo iG , o Xperia M4 Aqua ficou na média de outros intermediários com configurações semelhantes, como ZenFone 6, e abaixo de topos de linha de gerações anteriores, como LG G3. Foram 29.541 pontos no AnTuTu, abaixo do LG G3, e 18.947 pontos no Quadrant Standart, número acima de outro intermediário recente, o Galaxy K Zoom, da Samsung. Nos testes do app Vellamo, foram 2.246 pontos no Vellamo HTML5, que mede o desempenho do navegador, 970 no Vellamo Metal, pouco melhor que o Redmi 2, aparelho que custa um terço do M4 Aqua, e 1.443 pontos no Vellamo Multicore, perfomance um pouco acima do smartphone da Xiaomi.

O iG também testou o aparelho com os aplicativos mais comuns e alguns games pesados, como Epic Citadel. Durante o jogo, foi possível notar a dificuldade do hardware de entregar uma experiência satisfatória. Além do aparelho esquentar bastante, a imagem do Epic Citadel, que nem é dos games mais graficamente elaborados, travou na parte de cima do display durantes alguns segundos, obrigando o próprio celular a encerrar o programa. A tela de cinco polegadas, porém, garante uma experiência com vídeos satisfatória, bem embalada pelo alto falante na parte inferior.

Por outro lado, não há problemas de espaço no Xperia M4 Aqua. Além dos 16 GB de armazenamento interno, há a possibilidade de expandir a memória por meio de cartão microSD de até 128 GB.

Câmera traseira do M4 Aqua tem 13 megapixels
Emily Canto Nunes/iG -
Câmera traseira do M4 Aqua tem 13 megapixels

Câmeras

A câmera traseira tem 13 megapixels, abertura de lente de f 2.0 para capturar mais luz, ISO 3200 , Flash LED e sensor Exmor RS, da Sony, reconhecido pela sua qualidade mesmo em baixa luminosidade. Já a câmera frontal é de cinco megapixels, com campo de visão de 88º. Ou seja, um conjunto que é exatamente o esperado para um aparelho intermediário e que fica na média dos seus concorrentes.

Apesar de não ser do meu gosto em termos de layout, o software de câmera oferece modos interessantes para quem gosta de melhorar o resultado das suas fotos e vídeos. Nas configurações rápidas é possível alterar a proporção da imagem, o tempo de visualização da imagem, fazer fotos em sequência apertando na tela ou no botão dedicado e ativar o reconhecimento de rosto e também o obturador de sorrisos, que dispara a câmera quando as pessoas enquadradas no visor sorriem. O vídeo, que chega a 1080p e 30fps, também tem recursos interessantes como cronômetro e geomarcação, algo bastante encontrado atualmente em câmeras de smartphones.

Além disso, o aplicativo de câmera tem modos automáticos e manuais, opções de fotos com som, com múltiplas câmeras, isto é, conectando uma câmera fotográfica Sony ou outro aparelho celular, e efeitos criativos como o de realidade aumentada, além do modo panorama e de retoque, outras funções cada vez mais populares.

De modo geral, as imagens feitas com o Xperia M4 Aqua saíram bem boas, especialmente com a lente traseira. Por mais que tenha cinco megapixels e um ângulo de abertura bastante bom, onde cabem mais elementos na foto, a câmera frontal é muito suscetível à iluminação e, por vezes, a imagem fica opaca, escura e granulada.

Tela

Em geral, as telas da Sony são bem boas, e com o Xperia M4 Aqua não é diferente: com cinco polegadas, o display IPS LCD tem resolução HD (1280x720 pixels e 294 ppi de densidade), que combina bem com o tamanho do aparelho. Quando no brilho máximo, sua luminosidade chega a embaralhar a visão. O branco da tela do M4 Aqua, diferentemente de outros Sony já testados, está mais sépia e menos azulado, o que me parece mais confortável aos olhos, pelo menos nos momentos de leitura.

Sistema

Também como a Samsung, a Sony possui uma interface própria aplicada sobre o Android que modifica bastante o sistema operacional do Google, deixando-o com uma cara que é própria da marca, é verdade, mas também bastante poluído. A versão do Android é a 5.0, mas o usuário só nota se conhecer algumas das suas funcionalidades.

O lado bom das modificações do sistema talvez esteja nos cartões de notificações inteligentes, que deixam os alertas na ponta do dedo do usuário, além de alguns atalhos facilitados. O modo Stamina, que ajuda na economia da bateria, segue sendo um dos grandes destaques da linha Xperia da Sony. De fato, fazendo uso do modo Stamina e do Ultra Stamina, é possível chegar a verdadeiros milagres, mesmo aquele restinho de energia do fim do dia.

A cortina de acesso rápido a algumas das configurações está bem parecida com o padrão do Lollipop, nome que recebe o Android 5, algo positivo, pois permite que o usuário escolha que atalhos deseja ter ali. Uma das mudanças feitas pela Sony diz repeito a página de aplicativos, que nos Xperia ganha um menu lateral que ajuda bastante no gerenciamento e na organização dos apps. Porém, são muitos os apps e widgets pré-instalados pela empresa. Vários deles, inclusive, tentando substituir os apps do sistema operacional do Google que seguem sendo melhores e mais fáceis de usar, até porque são mais conhecidos pelos usuários em geral.

Resistente à água

Ainda que algumas publicidades mostrem o M4 Aqua embaixo d'água, eu não me arriscaria a ir tão longe assim. Sim, ele de fato possui uma resistência à água que poucos concorrentes possuem, mas isso não quer dizer que ele é totalmente à prova d'água. Água salgada, do mar, nem pensar, por exemplo. Além disso, vale dizer que o IP65/68 garante as funcionalidades do aparelho em até um metro embaixo d'água por apenas 30 minutos. Ou seja, um mergulho mais longo e pode ser o seu último flash.

Mas, então, para que serve essa especificação? Bem, para várias situações tão ou mais importantes. Para quando você está andando na chuva, por exemplo. A resposta do Xperia M4 Aqua é sensívelmente melhor do que de outros smartphones. Ou quando você começa a mexer no aparelho com o dedo molhado, do banho, da louça ou de qualquer outro momento. Ou, ainda, para esportistas, que ao levarem o smartphone consigo acabam derrubando um pouco de suor no aparelho. Ou, é claro, para não ficar completamente desesperado se o celular cair na pia cheia de água ou na privada. Nesses últimos casos, é quase certeza que o Xperia M4 Aqua seguirá funcionando normalmente.

Conectividade

Em termos de conectividade, o M4 Aqua não decepciona e nem é ameaçado pelos seus concorrentes. Pelo contrário, é um aparelho bonito, compatível com a rede 4G e também com dois chips de operadoras. Grande parte dos usuário que está em busca de um smartphone intermediário ou estão saindo do feature phone, onde os aparelhos com vários SIMs foram sucesso, ou de um produto de entrada, outra categoria onde mais de uma espaço para chip é comum.

Além disso, o M4 Aqua tem Wi-Fi, Bluetooth 4.0, rádio FM e até NFC, que não é algo tão comum em smartphones intermediários, mas que para alguns usuários pode ser interessante uma vez que é uma forma mais prática de conectar o smartphone a outros aparelhos e, futuramente, de fazer pagamentos móveis.

Bateria

Com uma bateria não removível de 2.400 mAh, o M4 Aqua, como vários outros da linha Xperia, se destaca pelo excelente gerenciamento de energia. Em especificações a bateria do M4 Aqua está na média, um pouco acima de outros concorrentes talvez, mas o trabalho que a Sony fez para estender a vida da bateria é admirável. Espero, inclusive, que o Android tenha aprendido com eles e que o Android 6, chamado Marshmalow, traga algo similar ou ainda melhor.

Nos testes intensivos do iG , com vídeo rodando sem parar, brilho da tela no máximo e Wi-Fi ligado, a bateria chegou a 8 horas de duração, número bem na média. Porém, com ajuda dos modos Stamina, que tem a opção de deixar apenas alguns apps funcionando e coloca até a tela em preto e branco, o aparelho ficou ligado por 30 horas.

Conclusão

Muito embora tenha uma perfomance abaixo do esperado para as suas configurações de hardware, o Xperia M4 Aqua tem soluções de software como o gerenciamento de energia e os modos de câmera que podem compensar dependendo do que o usuário procura. Para quem não desgruda do celular nem na hora de tomar banho ou de lavar a louça, a resistência à água pode ser uma especificação interessante. Porém, com esse conjunto de hardware, há no mercado opções com mais cara de Android e um desempenho mais equilibrado.

Especificações

Preço: R$ 1.499

Configuração: processador octa-core Qualcomm Snapdragon 615 de 64 bits (quad-core de 1,5 GHz + quad-core de 1,0 GHz), 2 GB de RAM, 16 GB de memória interna + entrada para cartão de memória microSD até 128 GB, dual chip 4G (4G e 2G), Android 5.0 Lollipop, tela de 5 polegadas com resolução HD (1.280 x 720) e tecnologia IPS, Wi-Fi b/g/n, Wi-Fi Direct, Bluetooth 4.0, GPS, NFC. Câmera traseira 13 MP, auto-foco e Flash LED, e câmera frontal de 5 MP. Bateria não removível de 2.400 mAh.

Dimensões (cm): 14,5 x 7,2 x 0,7

Peso (g): 136

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.