iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

11/11 - 14:49hs

Windows faz 25 anos
Sistema começou como uma simples interface gráfica para o MS-DOS, e a princípio não fez sucesso

Rafael Rigues

Acordo Ortográfico

Há 25 anos, em um evento em Nova Iorque em 10 de Novembro de 1983, Bill Gates apresentou ao mundo o que seria a primeira versão de uma “revolucionária” interface gráfica para o sistema operacional da Microsoft na época, o MS-DOS.

Batizado de “Windows”,  o programa prometia facilitar a vida dos usuários. Em vez de decorar comandos obscuros como “dir /p/w”, bastaria usar um aparelho ainda desconhecido, o mouse, para apontar e interagir com figuras na tela (os ícones) que representavam os comandos disponíveis. O sistema também prometia a capacidade de rodar múltiplos programas ao mesmo tempo e a cooperação entre eles, como por exemplo colar dados de uma planilha em um editor de textos.

Segundo Gates, o programa deveria chegar ao mercado em abril de 1984, mas isto só aconteceu em novembro de 1985, dando início a uma longa tradição de prazos “furados” por parte da Microsoft. Nesta época, o programa já tinha concorrentes como o GEM, da Digital Research, o VisiOn, da VisiCorp e o DESQView, da IBM, além do próprio Macintosh, que chegou ao mercado em janeiro de 1984. Com a exceção do Mac, nenhum deles sobreviveu até os dias atuais, embora o GEM tenha ressurgido como uma interface gráfica de código aberto para sistemas embarcados, batizada de FreeGEM/OpenGEM.

Mas a primeira versão do Windows não foi o sucesso esperado: Gates estimou que seu software estaria em “90% dos PCs compatíveis com o modelo da IBM” até o final de 1984, mas as vendas não chegaram nem perto disto, graças a problemas como a falta de software para o novo sistema e os altos requisitos de hardware: um monitor Hercules, CGA ou EGA, 384 KB de memória RAM (512 KB recomendados) e dois drives de disquetes de dupla-face ou um disco rígido. Tudo muito caro (especialmente o HD), e além do estava disponível em boa parte das máquinas da época.

Sem desanimar com as vendas inexpressivas, a Microsoft aplicou uma tática que persiste até hoje: tentar, tentar e tentar até acertar. O sucesso finalmente veio com o Windows 3.0, lançado em 1992, que trouxe uma nova interface gráfica, melhor suporte a monitores coloridos e extensões multimídia que auxiliaram na popularização de placas de som e leitores de CD-ROM em computadores domésticos.

Desde então a Microsoft vem intercalando grandes sucessos (Windows 95, Windows XP) com versões não tão boas assim (Windows ME, Windows Vista), mas sem perder sua posição de liderança: somando todas as versões, o Windows detém 90.46% do mercado mundial de sistemas operacionais para computadores pessoais. Seus principais concorrentes, o Mac OS X e as várias versões do Linux, tem participação mínima em comparação.

A próxima versão do Windows, batizada de Windows 7, está em desenvolvimento e deve chegar ao mercado, segundo cronograma da própria Microsoft, em meados de 2009.


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias