iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

10/02 - 16:15hs

Nokia N96: maior e melhor?
Sucessor do cobiçado N95, novo smartphone da Nokia chega ao mercado nacional com 16 GB de memória e novo visual. Mas nem todas as mudanças são bem-vindas

Rafael Rigues

Quando o Nokia N95 foi anunciado, em setembro de 2006, causou furor no mundo da telefonia móvel: câmera de 5 megapixels, GPS, Wi-Fi, uma tela enorme de 2.6 polegadas, memória expansível a até 8 GB com cartões MicroSD... uau! Não havia nada sequer parecido no mercado.

De lá pra cá, o nome N95 se tornou sinônimo de smartphone "top". A concorrência alcançou (e em alguns casos superou) sua lista de recursos, o iPhone apareceu fazendo barulho com sua tela sensível ao toque, mas ainda assim o aparelho da Nokia impõe respeito.

No ano passado o N95 ganhou fôlego extra com o lançamento do N95 8GB (veja review aqui no iG): era basicamente o mesmo aparelho, mas com um tapa no visual (mais elegante, todo em preto), bateria mais potente e 8 GB de memória interna. O suficiente para demarcar território e manter sua posição na mente do público.

Talvez por isso, na hora de “evoluir” o aparelho a Nokia tenha adotado uma posição bastante conservadora. O Nokia N96, que chegou ao mercado nacional no final do ano passado, a princípio parece apenas um N95 com uma roupa nova, mas por dentro traz mudanças importantes que podem afetar sua decisão de compra.

Banho de loja

A primeira diferença visível é na aparência. O Nokia N96 abandona o estilo característico de seus antecessores e adota um design com cantos arrendondados e superfícies planas, similar ao usado em outro aparelho da Nokia, o N81. A borda prateada e face preta também lembram um pouco o iPhone. A mudança dá ao aparelho um visual mais moderno e atraente, e provoca a ilusão de que ele é mais fino, o que não é verdade: ele tem praticamente a mesma espessura do N95 8GB.

O novo design tem seus problemas: o teclado também é plano e não há divisão entre as teclas de uma mesma fileira (por exemplo, 1, 2 e 3 formam uma "barra" só) o que dificulta a digitação se você tem mãos grandes. A única informação tátil são dois pequenos relevos ao redor da tecla 5. Quem costuma digitar sem olhar para o teclado, "sentindo" o contorno das teclas para se orientar, terá dificuldades.

Falando em problemas com teclado, o bloco de teclas logo abaixo da tela é um desafio para qualquer um com mãos grandes ou dedos "gordos": a Nokia espremeu, em um espaço de poucos centímetros, nada menos que onze teclas, todas elas planas e pequenas. Isso sem contar o direcional, com seu botão de "OK" no centro.

Quatro delas são teclas multimídia (tocar/pausar, avanço, retrocesso, parar) arranjadas ao redor do direcional que podem ser consideradas redundantes, já que podem ser facilmente acessadas num teclado dedicado à multimídia simplesmente deslizando a tela para baixo. Sem dúvida, seria preferível trocá-las por mais espaço para as outras teclas.

Mudança interior

As outras mudanças do N96 em relação aos seus antecessores são internas. A principal é o aumento da memória interna: agora são 16 GB, o dobro do espaço disponível no N95 8GB. Comparando com a memória interna do N95 original, 160 MB, é um salto de mais de 100 vezes pouco mais de 2 anos.

Se você ainda acha que isso é pouco, vai gostar de saber que o slot para expansão de memória com cartões MicroSD, removido no N95 8GB, está de volta. Com cartões de 8 GB (os maiores disponíveis neste formato), é possível chegar a 24 GB de "espaço em disco" total, uma vez e meia a capacidade do maior iPhone atualmente no mercado.

Outra mudança, desta vez para pior, foi na bateria: a BL-6C do N95 8GB foi trocada por uma BL-5F como no N95 original, com menor capacidade, o que se traduz em menor autonomia: 3 horas e 20 minutos de conversação, metade do tempo de seu antecessor. Se você é usuário voraz de multimídia e acesso à internet, também vai perceber rapidamente a diferença.

A Nokia também mudou o processador, o "cérebro" do aparelho. Os N95 (tanto o modelo original quanto o de 8 GB) tinham dois processadores ARM11 de 332 MHz, além de um processador de vídeo especializado em gráficos 3D. O N96 tem dois processadores ARM9 de 264 MHz, com "velocidade" menor, e não tem o processador de vídeo.

Nas tarefas do dia-a-dia não notei nenhuma grande diferença de desempenho, embora a mudança possa ser a responsável pelos "engasgos" na reprodução de vídeo (veja mais adiante). Jogos que fazem uso intenso de gráficos 3D, como  Real Football 2009 e Asphalt 4: Elite Racing, também podem apresentar queda de desempenho.

Mas a mudança mais interessante no N96 não aconteceu. Ou melhor, aconteceu só na Europa. Lá, o aparelho tem um sintonizador de TV digital móvel embutido, permitindo que você assista seus programas preferidos mesmo quando preso no trânsito. Mas o recurso não existe nos aparelhos comercializados no Brasil.

A "culpa" é do nosso sistema de TV Digital móvel, o 1Seg, incompatível com o DVB-H usando nos países europeus. Por isso, nem adianta pensar em trazer um N96 do exterior para poder assistir TV, não vai funcionar.

Hora do show

Os smartphones da linha NSeries sempre de destacaram no quesito multimídia, e o N96 não foge à regra. Ele mantém características essenciais nessa área, como a câmera de alta resolução (5 Megapixels), a excelente tela de 2.8 polegadas e a saída de fone de ouvido, enquanto expande outros recursos, como a memória (mais sobre isso adiante).

Assim como o N95 8GB, o N96 traz um filme completo na memória interna: desta vez temos em cartaz "Transformers", dublado em português. A reprodução na tela LCD é perfeita: dá pra usar o N96 como um "media player" para matar o tempo em uma viagem de avião sem nenhum problema.

Na verdade, o design até dá uma forcinha para isso: a borda da lente da câmera na verdade é um "pezinho" que pode ser levantado para deixar o aparelho em uma posição inclinada, com a tela voltada para você, quando apoiado sobre uma mesa.

Tivemos problemas ao assistir o filme na TV, usando o cabo de vídeo incluso na caixa. A imagem "engasgava" periodicamente, como se o aparelho estivesse fazendo pequenas pausas para ler as próximas cenas, o que rapidamente se tornou irritante. Além disso, a exibição foi interrompida por duas vezes: o player "fechou" sozinho sem motivo aparente, e o aparelho retornou ao menu principal.

A câmera do N96 é a mesma do N95 8GB, com sensor de 5 Megapixels com óptica Carl Zeiss, e não notamos diferença aparente na qualidade das fotos. O flash agora fica por conta de dois LEDs de xenônio de alto brilho (como no N82), o que ajuda nas fotos noturnas.

Infelizmente, a Nokia não trouxe de volta a tampa da lente (presente no N95 original e ausente no modelo de 8 GB). Pode parecer uma bobagem, mas ela faz falta: se você anda com o celular sempre no bolso e tira muitas fotos, limpar a lente rapidamente se torna algo cansativo.

Valeu a pena mudar?

Comparado ao impacto que o N95 causou quando chegou ao mercado, o Nokia N96 desaponta: embora evolua em algumas áreas, como a capacidade de memória e o flash, o retrocesso em outras (design, desempenho, bateria) me impede de considerá-lo um sucessor à altura de modelos mais antigos, como o N95 8GB.

Apelando para uma metáfora, é como quando um diretor decide pegar um clássico do cinema e refazê-lo com uma "roupagem moderna". Quando o diretor é competente o resultado não fica ruim, mas muito raramente está à altura do original. Esse é o N96.

Se você já tem um Nokia N95 (com um bom cartão de memória) ou N95 8GB, não se preocupe com o upgrade. Se você pensa em adquirir seu primeiro smartphone NSeries, aconselho a primeiro dar uma olhada no N95 8GB, que pode ser encontrado por preço muito menor. O N96 é para quem realmente necessita carregar 16 GB no bolso. E esses são poucos.

Serviço

Nome: Nokia N96
Fabricante: Nokia
Preço: R$ 2.399 (Sugerido pelo fabricante, pode variar conforme planos e promoções de cada operadora)
Prós: 16 GB de memória interna, excelente conjunto de recursos
Contras: Teclado plano, pouca autonomia de bateria


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Rafael Rigues

Fica fácil notar a mudança no visual do Nokia N96 nesta comparação lado-a-lado com seu antecessor...

Nokia N96 Novo smartphone da Nokia chega ao mercado nacional com 16 GB de memória

AMPLIAR

SETA ESQUERDA

SETA DIREITA

Fica fácil notar a mudança no visual do Nokia N96 nesta comparação lado-a-lado com seu antecessor...

Detalhe do teclado mostra um dos pontos controversos do N96: as teclas planas, que dificultam o uso

A câmera conta com flash Xenon duplo, e a moldura da lente é um pezinho para apoiar o aparelho ...

O conector de fones de ouvido, ainda seguindo o padrão de 3.5 mm, agora fica no topo do aparelho

O conector USB mudou e agora segue o padrão Micro USB, já adotado por vários outros fabricantes d...

O slot para expansão de memória com cartões MicroSD, que havia sido removido no N95 8GB, voltou

publicidade

Contador de notícias