iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

25/11 - 18:05hs

Pesquisadores do MIT adaptam Kinect para navegar na web com gestos

Projeto permite que, depois de instalar uma extensão no navegador Chrome, usuário acesse sites e interaja com o conteúdo utilizando as mãos

Claudia Tozetto, iG São Paulo

Um novo projeto, desenvolvido por quatro pesquisadores do MIT (Massachussetts Institute of Technology), torna possível que os internautas naveguem em sites da web de uma forma bastante similar à mostrada em filmes futuristas, como o "Minority Report: a nova lei", dirigido por Steven Spielberg e protagonizado por Tom Cruise em 2002.

>> Leia mais
Microsoft perde o medo e passa a apoiar hackers do Kinect

Aaron Zinman e outros três colegas, todos pesquisadores do Media Lab, adaptaram o Kinect, novo sistema que permite jogar XBOX 360 apenas com movimentos do corpo, para trabalhar com uma extensão de software instalada no navegador Chrome, desenvolvido pelo Google. Como resultado, o internauta interage com os sites na internet por meio de gestos simples. Os pesquisadores demonstram o funcionamento da tecnologia no vídeo abaixo (em inglês):

Para alternar entre abas já abertas no navegador, basta estender o braço com o punho aberto e movimentá-lo para a esquerda e direita até chegar a aba desejada. Depois, basta fechar o punho rapidamente para abrir a aba. Para rolar a página, é só subir e descer o braço esticado em frente à câmera do Kinect. Feche a mão quando quiser selecionar um link e, ao escolher, abra a mão rapidamente para abri-lo.

Em entrevista ao iG, Zinman explica que o sistema precisa de mais horas de desenvolvimento para ter uma interface mais simples para os usuários comuns. Ele e os colegas demoraram apenas cinco dias para adaptar o sistema ao Chrome. "Pensamos que conectar o Kinect ao navegador poderia se tornar um catalisador para outros trabalhos."

Ao iniciar o projeto, o grupo enfrentou algumas dificuldades, como tornar os sensores do Kinect mais sensíveis a movimento do punho e dos dedos. "Ainda há muito trabalho a fazer, mas já sabemos que ajustar os sensores é algo factível", diz Zinman. O grupo agora tenta adaptar o mesmo conceito a outros navegadores.

Para ele, a Microsoft inovou ao tornar uma tecnologia de interface avançada barata o bastante para integrá-la a um único dispositivo. Contudo, novas aplicações mais avançadas da tecnologia devem aparecer logo. "Pessoas de todas as partes do mundo modificarão o sistema de modo que os computadores possam interagir com ele. Ele será usado de novas formas que a Microsoft nunca teria imaginado", diz Zinman.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias