iG - Internet Group

iBest

brTurbo

NotíciasÚltimo Segundo

03/12 - 11:31hs

2010: o ano do Facebook
Seis anos após fundação, rede social se consolida nos principais mercados do mundo e amplia alcance em países emergentes

Claudia Tozetto, iG São Paulo

O Facebook, rede social mais popular do mundo, tem só seis anos de vida, mas coleciona números expressivos. O site reúne mais de 500 milhões de pessoas, das quais metade acessa o site todos os dias. A cada mês, elas passam 700 bilhões de minutos navegando no Facebook. Com isso, a companhia liderada por Mark Zuckerberg já vale R$ 58,2 bilhões (ou US$ 33,7 bilhões), de acordo com estimativa do jornal Financial Times.

Ainda nesta matéria:
Perfil: Mark Zuckerberg
Os inimigos de Mark Zuckerberg
Retrospectiva: o Facebook em 2010
10 dicas para usar melhor o Facebook

Getty Images
Facebook é a rede social que mais cresce no Brasil e no mundo

Nos países emergentes, em especial no Brasil, a rede social enfrenta desafios para se popularizar por ter demorado a disponibilizar versões do site no idioma local. Os brasileiros, por exemplo, só ganharam um Facebook em português em junho de 2008. Nessa época, a maioria dos internautas já tinha criado perfis no Windows Live, da Microsoft, e no Orkut, do Google. Este último domina o mercado brasileiro até hoje, com 73,1% dos usuários.

O Facebook aparece apenas em terceiro lugar no ranking brasileiro de redes sociais, atrás do Orkut e do Windows Live. Entretanto, é a rede social que ganha mais cresce no Brasil e no mundo: em um ano, o Facebook ganhou 368,1% visitantes únicos no Brasil e 47,2% no mundo. No mesmo período, passou a alcançar 245,3% mais usuários no Brasil e 34,6% mais no mundo.

Divulgação
280px
Facebook deixou Orkut para trás na Índia em setembro

Até pouco tempo atrás, o Facebook também estava atrás do Orkut na Índia. Contudo, em maio deste ano, o número de visitantes únicos do Orkut começou a cair e o Facebook manteve a tendência de crescimento no país – em um ano cresceu 177%. Em setembro, passou de 20 milhões de visitantes únicos e ultrapassou o Orkut.

Presença internacional

Apesar de 70% dos usuários do Facebook acessarem o site de fora dos Estados Unidos, a rede social reúne mais usuários do que qualquer outra rede social neste país e em boa parte dos países da Europa. Segundo dados da comScore, a rede social já alcança 48,6% dos internautas no mundo todo. Somente em outubro de 2010, o Facebook registrou 148 milhões de visitantes únicos.

História

A história do Facebook, que estará em cartaz nos cinemas a partir da próxima sexta-feira (3), começou em fevereiro de 2004, no dormitório de Mark Zuckerberg, hoje CEO da rede social, na Universidade de Harvard. O serviço, que na época era exclusivo para estudantes da universidade, conquistou rapidamente a população de Harvard, foi expandido para outras universidades e, depois, para qualquer internauta nos Estados Unidos.

Em 2005, já com 1 milhão de usuários, o Facebook recebeu um aporte de capital de US$ 12,7 milhões do grupo de investimentos Accel Partners. Neste mesmo ano, a rede social ganhou o recurso de álbum de fotos, o que lhe ajudou a terminar o ano com mais de 5,5 milhões de usuários. Nos dois anos seguintes, a empresa de Zuckerberg recebeu mais US$ 27,5 milhões de outros fundos, entre eles Greylock Partners e Meritech Capital Partners, e também um aporte de capital de US$ 240 milhões da Microsoft.

Somente em 2008 o Facebook chegou a países com idioma diferente do inglês. Os primeiros foram a Espanha e a França e, no mesmo ano, a rede social já estava disponível em outros 21 idiomas. Tudo com a ajuda de 300 mil usuários que ajudaram na tradução por meio de um aplicativo próprio do Facebook. Com isso, o número de usuários ativos da rede social chegou a 150 milhões em janeiro de 2009.

Atualmente com 500 milhões de pessoas cadastradas, o Facebook não para de crescer, apesar dos constantes problemas em relação à privacidade dos usuários. Desde sua criação, Zuckerberg tem sido questionado por usar dados pessoais dos usuários, como idade e interesses, para direcionar anúncios publicitários dentro da rede social.

Outro recurso do site, chamado personalização instantânea, permite que sites de parceiros extraiam alguns dados pessoais dos internautas para que eles não precisem cadastrá-las ao acessá-los pela primeira vez. “Vamos continuar focados em dar às pessoas o poder de compartilhar e de tornar o mundo mais aberto e conectado”, disse Zuckerberg em carta ao jornal The Washington Post em maio de 2010, após uma das maiores polêmicas em torno da privacidade dos usuários.

Siga o iG Tecnologia no Twitter Siga o iG Tecnologia no Twitter


? Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias