Meta vai usar dados de Facebook e Instagram para treinar IA
Ricardo Syozi
Meta vai usar dados de Facebook e Instagram para treinar IA

Uma recente afirmação do CEO da Meta Mark Zuckerberg chamou a atenção de especialistas em privacidade digital e de pessoas que usam as plataformas da empresa. Segundo o empresário, a Meta tem mais dados de usuários do que foi utilizado no treinamento do ChatGPT, algo que a companhia pode usar para treinar seus próprios sistemas de inteligência artificial.

A empresa planeja usar postagens e comentários do Facebook e Instagram no treinamento dos robôs. Porém, isso levanta algumas preocupações, pois envolve questões de privacidade e de comportamento.

Facebook cresce, mas Zuckerberg não está satisfeito

No relatório financeiro divulgado no início de fevereiro, a Meta afirmou que o número de pessoas que usam ativamente o Facebook cresceu 6%. Esse aumento seria positivo para várias marcas, mas Mark Zuckerberg não está satisfeito.

-
Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
-

“A próxima parte importante do nosso manual é aprender com dados exclusivos e ciclos de feedback em nossos produtos… No Facebook e no Instagram, existem centenas de bilhões de imagens compartilhadas publicamente e dezenas de bilhões de vídeos públicos, que estimamos ser maiores do que o conjunto de dados ‘Common Crawl’, e as pessoas também compartilham inúmeras postagens de texto públicos em comentários em nossos serviços”, disse o CEO da Meta.

O destaque para o relato acima é a expressão “Common Crawl”, que se refere a um arquivo de 250 bilhões de páginas da web que pode ser usado para treinar uma IA generativa como o ChatGPT da OpenAI ou o Gemini do Google .

No entanto, ao usar os dados de comentários e posts de suas redes sociais, a Meta poderia estar cruzando a linha da privacidade digital. Além disso, é preciso lembrar que tanto o Facebook quanto o Instagram ainda produzem opiniões de pessoas consideradas tóxicas, o que aumenta a preocupação sobre um robô que seria treinado a partir disso.

O que dizem os especialistas

Para entender melhor o assunto, o Canaltech entrou em contato com advogados especialistas em privacidade digital.

Questões de privacidade digital já trouxeram dor de cabeça para a Meta no passado. A empresa foi acusada de muitas coisas nesse quesito como, por exemplo, violar direito autoral para treinar IA e de usar livros sem autorização para o treinamento de robôs . Se Zuckerberg continuar com sua ideia de usar postagens do Facebook e do Instagram para alimentar sua inteligência artificial, é possível que novos processos estejam a caminho.

Leia a matéria no Canaltech .

Trending no Canaltech:

    Mais Recentes

      Comentários

      Clique aqui e deixe seu comentário!