Destaque da NASA: berçário estelar gigante na foto astronômica do dia
Danielle Cassita
Destaque da NASA: berçário estelar gigante na foto astronômica do dia

O berçário estelar NGC 604 é o astro da foto destacada pela NASA nesta quinta-feira (25), capturada pelo telescópio James Webb . Esta região pode ser encontrada a cerca de 3 milhões de anos-luz de nós em meio aos braços da galáxia M33, do tipo espiral, e se estende por mais ou menos 1.300 anos-luz.

Isso significa que NGC 604 é quase 100 vezes maior que a nebulosa de Órion, o berçário estelar mais perto da Terra. Esta região tem entre 30 e 40 anos-luz de diâmetro, e em seu interior são formadas cerca de mil estrelas.

Se considerarmos as regiões formadoras de estrelas no Grupo Local de galáxias, NGC 604 passa a ser apenas a segunda maior — ela perde o título para 30 Doradus, a Nebulosa da Tarântula encontrada na Grande Nuvem de Magalhães.

-
Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/podcast/
-

Na foto, NGC 604 aparece com inúmeras bolhas e cavidades, que foram esculpidas pela ação dos ventos das estrelas jovens e massivas ali.

Estas estrelas são dos tipos B e O — as desta categoria, aliás, podem ter mais de 100 vezes a massa do nosso Sol. É bastante incomum encontrar tantas delas agrupadas tão perto da Terra.

Como as estrelas se formam

Pois bem, explicamos que NGC 604 abriga estrelas em formação . Mas, afinal, como isso acontece? Bem, de forma geral, podemos dizer que as estrelas nascem nas nuvens moleculares, que são grandes nuvens de gás e poeira.

Estas nuvens podem ter desde mil até 10 milhões de vezes a massa do Sol, e chegam a algumas centenas de anos-luz de comprimento. Nelas, o gás frio se agrupa e forma bolsões densos, que às vezes colidem entre si ou coletam mais matéria.

Quando isso acontece, a massa deles aumenta e a força gravitacional também, até que chega o momento em que a gravidade causa o colapso das estruturas. Nesta etapa, a fricção aquece o material que, eventualmente, forma uma protoestrela.

Os grupos de estrelas recém-formadas em nuvens moleculares são conhecidos como aglomerados estelares. Já as nuvens moleculares cheias de aglomerados, como a que você viu acima, são os berçários de estrelas.

Leia a matéria no Canaltech .

Trending no Canaltech:

    Mais Recentes

      Comentários

      Clique aqui e deixe seu comentário!